DCSIMG
Para ver todas as atividades que aconteceram na primeira ediçãodo Festival WOW Rio, selecione o dia, arraste para a direita e para baixo.
Clique para ver a PROGRAMAÇÃO COMPLETA EM PDF ou o LIVRETO OFICIAL DO FESTIVAL

 

 
17.11
Sábado
Armazém | Espaço Dandara Armazém | Espaço Marcia X Armazém | Espaço Nise da Silveira Armazém | Exposições MAR | Arquibancada (pilotis) MAR | Auditório MAR | Sala 2.1 MAR | Sala 2.2 MAR | Sala 3.1 MAR | Sala 3.2 MAR | Sala 3.3 MAR | Salas Expositivas Museu do Amanhã | Auditório Museu do Amanhã | LAA Museu do Amanhã | Lounge Museu do Amanhã | Observatório Museu do Amanhã | Salas Expositivas Museu do Amanhã | Terreiro Praça Mauá Praça Mauá | Boulevard Olímpico Praça Mauá | Instalação Praça Mauá | Palco Principal Praça Mauá | Stands
10:00
Aulão de Yoga
Interpretando
Race Cards
Mulheres na coleção MAR | Visitas Guiadas
A escrevivência no centro do debate: Conceição...
Mulheres negras pautam o futuro: pensamento...
Como desenvolver e utilizar ferramentas de...
Intervenção: As mulheres que fizeram o Amanhã
Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninas...
Feira DELAS
#AfroGrafiteiras - Rede NAMI
Mulheres Ativistas
10:30
Origem
Mesas de ping pong
11:00
Reflexões sobre autocuidado entre ativistas
Papo minas & manas
Nossa energia vem da Ancestralidade e sobreviveu à...
Respostas humanas à militarização da vida:...
Consciência de si e formas de sustentabilidade
Entrando em cena: mulheres que fazem cinema contando...
Mulheres e crianças negligenciadas: o fenômeno Zika...
Saúde: poder masculino, sabedoria feminina
Mentorias: Vidas em Conexão
11:30
Bebê Abayomi: identidade afrobrasileira - ação...
Race Cards
12:30
Som de Preta
14:00
Trabalhos de Parto
Jude Kelly entrevista Reni Eddo-Lodge
Maternidade e paternidade
Meu corpo, minhas regras: padrões e aparência
Mulheres de ouro: o que mulheres atletas e...
Race Cards
Mulheres indígenas e quilombolas: lutas identitárias...
Mulheres na mídia: Representatividade
Mulheres negras pautam o futuro: impressão 3D aplicada...
WOW Bites: Compartilhando trajetórias
Intervenção urbana
Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninos...
14:30
Instagram para iniciantes: conhecendo a ferramenta....
Grupo de música tradicional - Caixeiras do Divino
15:00
Bate papo sobre o livro "A razão neoliberal: economias...
15:30
Race Cards
16:00
Quão seguras são as ruas da cidade para mulheres?
As mulheres precisam conquistar o campo da comunicação
Mulheres refugiadas e imigrantes em busca do seu...
Mulheres no samba: resistência e paixão à cadência...
Mulheres no comando: o mundo corporativo sob a ótica...
O céu é o limite? Trajetória de mulheres na ciência...
O racismo é do indivíduo e da instituição
WOW Bites: Compartilhando trajetórias
Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninas...
Fúrias - Cia de Mysterios e Novidades
16:30
Mulheres em movimento mudam o mundo: não à...
17:00
Rap Party UK e Rap Slam
Race Cards - Com a presença da artista Priscila Rezende
Mulheres negras pautam o futuro: segurança digital
Construindo novas narrativas - Chega de Fiu Fiu
18:00
Revolta Lilith
Percussão sísmica
Na violência contra a mulher, a gente mete a colher
Oficina de performance - Slap & Tickle
DJs Tasha e Tracie
18:30
Tiê
19:00
DJs Tasha e Tracie
19:30
Tássia Reis
20:00
Revolta Lilith
DJ Elisa Amaral
20:30
Flora Matos
21:30
DJ Elisa Amaral
22:00
Karol Conka
Armazém | Espaço Dandara
17.11 ÀS 10:00

Aulão de Yoga

Yoga na Maré
Ana Olívia

of - OFICINAS

Aulão de yoga, incluindo uma meditação inicial, exercícios respiratórios, prática de posturas físicas e relaxamento final.

Duração do evento: 10h00 - 11h00

Armazém | Espaço Dandara
17.11 ÀS 11:30

Bebê Abayomi: identidade afrobrasileira - ação poética afetiva

Lena Martins
artesã

of - OFICINAS

A oficina, conduzida pela artesã Lena Martins, promove o fortalecimento da autoestima e o reconhecimento da identidade afro brasileira. Através de brincadeiras e músicas, cada participante confeccionará um bebê negro, sem usar cola ou costura, utilizando retalhos de malha, tecidos e ervas aromáticas. A boneca negra Abayomi foi criada no Rio de Janeiro em 1987 e esta oficina já foi realizada com mais de vinte e seis mil pessoas desde então.

Duração do evento: 11h30 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Marcia X
17.11 ÀS 14:00

Trabalhos de Parto

Marcia Zanelatto
ESCRITORA, ROTEIRISTA E DRAMATURGA

ac - ARTE E CULTURA

A autora Marcia Zanelatto apresenta através de uma performance seu processo de trabalho sobre a peça escrita sob encomenda para o Birth Debate/ Royal Exchange Theatre/ UK, em que faz uma documentação poética do parto em 5 gerações de sua própria família. 

Colaboração artística entre a autora Marcia Zanelatto e a diretora Bianca Ramoneda. Produção de Juliana Mattar. 

 

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Marcia X
17.11 ÀS 18:00

Revolta Lilith

Alicia Esteves
fotógrafa, ativista e performer

Ariane Fachinetto
atriz

Carolina Bianchi
diretora, escritora e atriz

Fronte Violeta
projeto de música experimental eletrônica

Lowri Evans
atriz

Martha Kiss Perrone
diretora e atriz

Mayara Baptista
atriz

ac - ARTE E CULTURA

Revolta Lilith é um espetáculo que celebra a desobediência das mulheres em diferentes tempos e espaços. A peça parte do mito pouco conhecido de Lilith, considerada a primeira mulher que viveu no Paraíso. Para alguns, ela teria sido expulsa e se tornado uma “demônia”. Nesta peça, Lilith foge do Paraíso, parte em exílio e organiza uma revolta.“Eu não estou nos livros. Eu não estou nos espetáculos. A minha língua nunca é a deles.” Revolta Lilith é o encontro entre quinze mulheres multi-artistas de diferentes áreas, da dramaturgia à direção, passando pela música, vídeo, dança, luz, figurino e artes visuais. O espetáculo se concentra na fronteira entre a performance, o teatro e o cinema.

Duração do evento: 18h00 - 19h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Marcia X
17.11 ÀS 20:00

Revolta Lilith

Alicia Esteves
fotógrafa, ativista e performer

Ariane Fachinetto
atriz

Carolina Bianchi
diretora, escritora e atriz

Fronte Violeta
projeto de música experimental eletrônica

Lowri Evans
atriz

Martha Kiss Perrone
diretora e atriz

Mayara Baptista
atriz

ac - ARTE E CULTURA

Revolta Lilith é um espetáculo que celebra a desobediência das mulheres em diferentes tempos e espaços. A peça parte do mito pouco conhecido de Lilith, considerada a primeira mulher que viveu no Paraíso. Para alguns, ela teria sido expulsa e se tornado uma “demônia”. Nesta peça, Lilith foge do Paraíso, parte em exílio e organiza uma revolta.“Eu não estou nos livros. Eu não estou nos espetáculos. A minha língua nunca é a deles.” Revolta Lilith é o encontro entre quinze mulheres multi-artistas de diferentes áreas, da dramaturgia à direção, passando pela música, vídeo, dança, luz, figurino e artes visuais. O espetáculo se concentra na fronteira entre a performance, o teatro e o cinema.

Duração do evento: 20h00 - 21h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Nise da Silveira
17.11 ÀS 11:00

Reflexões sobre autocuidado entre ativistas

Renata Souto
agrônoma, aromaterapeuta e doula

Tânia Muri
educadora e ativista feminista

of - OFICINAS

A oficina visa apresentar, através de dinâmicas de acolhida, exercícios integrativos e reflexivos, a importância do cuidado consigo e com as outras mulheres. Nesta atividade, serão compartilhadas as emoções, as aprendizagens na luta e as dores vividas, a partir da ideia de que o político é também pessoal. O autocuidado e o cuidado entre as ativistas é capaz de gerar nas mulheres a possibilidade de lidar com elementos que bloqueiam sua trajetória de transformação no campo subjetivo, sendo um caminho para enfrentar o sexismo, o racismo, o individualismo e outras formas de opressão. O movimento grupal e afetivo de cuidado perpassa a construção de uma proposta do "Bem Viver Feminista" para o fortalecimento do feminismo como sujeito político.

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Nise da Silveira
17.11 ÀS 14:30

Instagram para iniciantes: conhecendo a ferramenta. Como impulsionar meu empreendimento?

Júlia Trindade
jornalista com formação complementar em audiovisual e mídias sociais

of - OFICINAS

A oficina propõe apresentar como o Instagram pode ser útil para a divulgação de um empreendimento, desde o planejamento até o monitoramento dos resultados, apresentando as suas principais funções e possibilidades. O objetivo é aprofundar sobre como esta mídia funciona e de que forma as empreendedoras podem usá-la a seu favor.

Duração do evento: 14h30 – 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Nise da Silveira
17.11 ÀS 16:00

Quão seguras são as ruas da cidade para mulheres?

Kalpana Viswanath
co-fundadora e presidente da Safetipin

of - OFICINAS

Quão segura uma mulher se sente nas ruas da cidade do Rio de Janeiro? O SafetiPin é um aplicativo móvel desenvolvido em Delhi (Índia) que utiliza um sistema de mapeamento para tornar comunidades e cidades mais seguras com base em informações coletadas por usuários e fotografias noturnas, com base em nove parâmetros - iluminação, acesso, caminho a pé, segurança, transporte público, quantidade de público, diversidade de gênero, visibilidade e sensação de segurança, todos utilizando uma escala de pontuação para cada caso. Neste workshop, além de debater a questão de direito da mulher à cidade feminina, será realizado treinamento com Safetipin para conduzir uma auditoria de segurança nas ruas da região portuária do Rio de Janeiro e após as auditorias, nos reuniremos para discutir o processo.

*participantes precisam trazer smartphone

Tradução português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Exposições
17.11 ÀS 10:00

Interpretando

Bruna Manso
fotógrafa

at - ATIVISMO

A exposição "Interpretando" foi produzida a partir de um ensaio fotográfico real. Os "personagens" são meninas do Morro da Providência inseridas precocemente em diferentes contextos durante a infância/adolescência. São elas que dividem com as mães as tarefas domésticas, encaram ao mesmo tempo escola e gestação, lidam com a ausência de laços paternos, enfrentam as mais diversas e complexas situações em um momento singular do seu desenvolvimento. "Interpretando" propõe uma reflexão sobre a perspectiva dessas futuras mulheres, possibilitando que elas brinquem de ser quem são enquanto a vida adulta insiste em se apressar.

Duração do evento: 10h00 - 20h00

Armazém | Exposições
17.11 ÀS 10:30

Origem

Coletiva Era
fotógrafas

at - ATIVISMO

Uma exposição sobre mulheres, senhoras comuns que trazem resistência e persistência no corpo. Quando pensamos em mulheres fortes, lembramos de diversas mulheres que têm sua luta explícita no próprio cotidiano, estabelecendo-a através da própria existência. Nossa ancestralidade é nossa força. A mostra pretende trazer retratos do feminismo contemporâneo que ativa o encontro das diferenças e dos enfrentamentos diários pelos quais passam aquelas que vieram antes de nós.

Duração do evento: 10h00 - 20h00

MAR | Arquibancada (pilotis)
17.11 ÀS 11:00

Papo minas & manas

Juliana Almeida
artesã, modelista, designer de moda e graduada em Serviço Social

Karen Rochas
Produtora de moda e advogada, com mestrado em Direito Econômico

Marcielly Vanucci
produtora cultural

of - OFICINAS

O encontro entre as "minas" (em referência às mulheres mais novas) e as "manas" (em referência às mulheres mais experientes) proporcionará uma troca de saberes afetivos e técnicos, proposto pelo coletivo Quase na Lua. Neste encontro, serão abordados os temas relacionados às mulheres na cultura, na arte e no empreendedorismo. As minas e manas convidadas a fazerem parte desta atividade são influenciadoras e transformadoras, oriundas principalmente de territórios periféricos, como a Mc Martina (Slam Laje), Victória Santanna (A Baixada Grita Arte), Priscila Rooxo (Grafiteira), Ara Nogueira (Artista Urbana), entre outras.

Duração do evento: 11h00 - 12h30

MAR | Arquibancada (pilotis)
17.11 ÀS 12:30

Som de Preta

ac - ARTE E CULTURA

O grupo Som de Preta foi criado com a proposta de valorizar a cultura afrobrasileira, em especial a arte produzida por mulheres negras. O ponto de partida do trabalho é o resgate da contribuição artística de compositoras e poetisas negras. Politizadas e conscientes da importância da arte como instrumento de comunicação, as integrantes do grupo farão no WOW um show como veículo de militância pela superação do racismo.

Duração do evento: 12h30 - 13h30

MAR | Arquibancada (pilotis)
17.11 ÀS 14:30

Grupo de música tradicional - Caixeiras do Divino

As Caixeiras do Divino
Grupo Musical e de Rituais Culturais

ac - ARTE E CULTURA

As Caixeiras do Divino Espírito Santo são uma parte importante da manifestação da cultura popular tradicional e religiosa chamada Festa do Espírito Santo. As caixeiras são responsáveis por conhecer e transmitir oralmente toda a tradição relacionada à organização, história, memória e preservação desta cultura para as novas gerações. No Rio de Janeiro, as Caixeiras tocam desde 1967, ano de fundação da Comunidade Maranhense e da realização da primeira festa do Divino na cidade.

Duração do evento: 14h30 - 15h30

MAR | Arquibancada (pilotis)
17.11 ÀS 15:00

Bate papo sobre o livro "A razão neoliberal: economias barrocas e pragmática popular"

Verónica Gago
doutora em ciências sociais, professora e pesquisadora

of - OFICINAS

O bate-papo sobre o livro “A Razão neoliberal: economias barrocas e pragmática popular” será entre a autora Verônica Gago, integrante do coletivo argentino "Ni Una Menos" e Graciela Rodriguez, coordenadora do Instituto EQUIT – Gênero, Economia e Cidadania Global.

Duração do evento: 15h30 - 16h30

MAR | Arquibancada (pilotis)
17.11 ÀS 17:00

Rap Party UK e Rap Slam

RAP Party UK
noite de hip-hop e poesia

RAP Slam

ac - ARTE E CULTURA

The RAP Party é uma noite de hip-hop e poesia (RAP = Rhythm And Poetry| Ritmo e poesia) dirigida pelos poetas Inua Ellams e Theresa Lola. Ocorre em vários locais em Londres e no Reino Unido e o objetivo é criar mais uma atmosfera de festa, além que uma noite tradicional de poesia. No Festival WOW Rio, elas estarão com três multi artistas, juntas pela primeira vez numa versão Slam e Rap. Trazendo a principal vertente de seus encontros: uma batalha de poesia autoral com a sonoridade do Rap. Mc Martina, do Complexo do Alemão; Brenda Lima, do Buraco do Sapo, favela de Petrópolis, região serrana do Rio; e Mc Dall Farra, de Duque de Caxias, Baixada Fluminense. As três fazem parte do Poetas Favelados, coletivo que declama poesias marginais em transportes e espaços públicos pelo Rio.

Duração do evento: 17h00 - 19h00

MAR | Auditório
17.11 ÀS 11:00

Nossa energia vem da Ancestralidade e sobreviveu à diáspora

Gracy Mary Moreira
Ativista da cultura afro-brasileira e Conselheira Estadual de Politicas Culturais do Rio de Janeiro

Juliana Luna
consultora de moda e repórter

Mãe Celina de Xangô
produtora de rádio e Produtora Cultural

Sandra Maria Andrade
quilombola da Comunidade Carrapatos da Tabatinga

fv - FÓRUM DE VIVÊNCIAS

O doloroso passado de diáspora das populações negras ao redor do mundo criou um sistema de vínculos globais marcados por fluxos e trocas de variadas ordens, especialmente cultural. Nesse quadro complexo, o contato com a ancestralidade é fundamental, sobretudo para as mulheres negras: ele nos permite aprender sobre o passado e construir o futuro, preservando a memória e as conquistas do nosso povo negro. O presente painel irá partilhar essa energia e visibilizar os caminhos de nossas lutas para mostrar que toda vida importa.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Auditório
17.11 ÀS 14:00

Jude Kelly entrevista Reni Eddo-Lodge

Jude Kelly
Fundadora do Festival Women of the World

Reni Eddo-Lodge
jornalista, escritora e podcaster britânica

fv - FÓRUM DE VIVÊNCIAS

Fundadora do Movimento WOW - Women of the World (Mulheres do Mundo) e reconhecida como um dos maiores nomes das artes e cultura na Europa, a diretora britânica Jude Kelly conversa sobre carreira, literatura e ativismo com um dos nomes mais comentados na literatura na atualidade: a escritora e jornalista inglesa Reni Eddo-Lodge - autora do bestseller internacional "Why I'm not longer talking to white people about race" (Porque eu não falo mais sobre raça com pessoas brancas). Reni é aquela pessoa que não se pode perder a oportunidade de ouvir, especialmente nos tempos que hoje vivemos.

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Auditório
17.11 ÀS 16:00

As mulheres precisam conquistar o campo da comunicação

Ana Paula Lisboa
Dirige a produtora Aláfia, é Youtuber e escritora

Fernanda Honorato
repórter no Programa Especial da TV Brasil

Flávia Oliveira
Jornalista

Minna Salami
Escritora e fundadora do premiado site MsAfropolitan

Sofia Soter
editora, tradutora e escritora

fv - FÓRUM DE VIVÊNCIAS

A comunicação é importantíssima para o relacionamento entre as pessoas e para a construção das narrativas que dominam o mundo social. Quem se comunica tem poder. E esse poder específico, no Brasil, ainda é majoritariamente masculino. O intuito desta mesa é celebrar os espaços em que as mulheres de diferentes contextos e vivências estão atuando, falar sobre suas trajetórias e pensar sobre os caminhos que ainda precisam ser percorridos neste campo para ampliar nossa força.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Auditório
17.11 ÀS 18:00

Percussão sísmica

Moon Ribas
Ativista e artista performática

ac - ARTE E CULTURA

Moon Ribas é conhecida por desenvolver um sensor sísmico on-line implantado em seus pés que permite que ela perceba ocorrendo em qualquer lugar do planeta através de vibrações em tempo real. Para compartilhar sua experiência, ela traduz seu senso sísmico no palco. Ribas transpõe os terremotos em qualquer som, em sua obra Percussão Sísmica; ou dance, em Waiting For Earthquakes. Nessa performance, a Terra é o compositor e o coreógrafo; e Ribas, o intérprete. Moon conversa com o público sobre o seu trabalho e a experimentação da união entre a tecnologia e seu corpo para explorar os limites da percepção e experimentar o movimento de uma forma mais profunda e apresenta uma performance de percussão baseada em abalos sísmicos que ocorreram no Brasil nos últimos 20 anos.

Duração do evento: 18h00 - 19h00


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.1
17.11 ÀS 11:00

Respostas humanas à militarização da vida: gerações que enfrentam as pressões policiais

Ivanir Mendes
gastróloga e ativista dos Direitos Humanos

Lilián Celiberti
Militante, coordenadora do Cotidiano Mujer, e integrante da Articulação Feminista Marcosur

Raquel Willadino
coordena a área de Direito à Vida e Segurança Pública do Observatório de Favelas

Renata Trajano
comunicadora popular e co-fundadora do Coletivo Papo Reto

rc - RODAS DE CONVERSAS

Muitas mulheres passaram por experiências de contato com forças militares que violam a dignidade da pessoa humana – seja na ditadura militar, seja nas as atuais incursões militares nas favelas. Essas mulheres nunca se calaram diante do problema. Assim, realizar este diálogo geracional nos permite compartilhar estratégias, impressões e análises sobre os tempos políticos brasileiros e a permanência de um Estado que ainda carrega em sua estrutura central uma perspectiva autoritária e violenta.

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.1
17.11 ÀS 14:00

Maternidade e paternidade

Ana Pacheco
roteirista

Patrícia Nascimento

Rodrigo Bueno
ilustrador e designer gráfico

Shirley Oliveira
professora

rc - RODAS DE CONVERSAS

Nesse diálogo, colocamos mulheres e homens juntos para debater o compartilhamento dos cuidados das crianças e adolescentes. As transformações pelas quais a família vai passar ao longo do desenvolvimento das crianças parecem ser fundamentais para o entendimento da parentalidade como um processo dinâmico e bidirecional entre pais e filhos.

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.1
17.11 ÀS 16:00

Mulheres refugiadas e imigrantes em busca do seu território

Diana Andringa
Jornalista e documentarista

Guilhermina Naval
empreendedora

Jeane Xaud
Defensora pública

Marijana Savic
Fundadora e diretora da ONG Atina

rc - RODAS DE CONVERSAS

As razões são muitas para que as pessoas migrem: a busca por oportunidades sociais, econômicas e culturais, a fuga de guerras e outras violências, a busca por viver os direitos individuais. Há uma guerra amazônica não reconhecida pelo Estado e pela maioria dos brasileiros, na região de Altamira (Pará) e da bacia de um dos rios mais ricos em biodiversidade da Amazônia, o Xingu. Escrita por dezenas de milhares de mulheres expulsas pela hidrelétrica de Belo Monte. Refugiadas em seu próprio país. São muitas, portanto, as razões para o fluxo migratório. Ouvir suas vivências e buscar nossos pontos comuns é central para o reconhecimento dos direitos femininos em todos os âmbitos. Vamos falar sobre isso?

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.2
17.11 ÀS 11:00

Consciência de si e formas de sustentabilidade

Daniela Ribas
responsável pela concepção, desenvolvimento e articulação do Programa Rio Sustentável

Georgia Pessoa
Diretora Executiva do Instituto Humanize

Maria do Carmo Oliveira
criadora da COOPQUITUNGO

Sônia Guajajara
líder do movimento dos povos indígenas brasileiros, Formada em Letras e em Enfermagem

Vera Maria Ferreira
pesquisadora e vice-curadora da coleção de mamíferos do inpa

rc - RODAS DE CONVERSAS

Os assuntos relacionados à questão ambiental estão na ordem do dia. Cada vez mais é preciso pensar sobre os efeitos da ação humana no meio ambiente. Seja na proteção dos animais, nas formas como consumimos, seja como lidamos com nosso lixo de cada dia, as mulheres têm feito história sobre como construir um modo de vida sustentável. Vamos refletir sobre isso?

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.2
17.11 ÀS 14:00

Meu corpo, minhas regras: padrões e aparência

Bianca Santana
Escritora, jornalista, doutoranda em Ciência da Informação e mestra em Educação

Dríade Aguiar
fundadora do Mídia NINJA e gestora de comunicação da rede de coletivos Fora do Eixo

Leila Sterenberg
jornalista da GloboNews

Preta Rara
Rapper, turbanista, professora de história, modelo plus size e influenciadora digital

rc - RODAS DE CONVERSAS

Desde criança, as mulheres aprendem a se enquadrar em um determinado modelo de comportamento e padrão de beleza imposto por determinadas instituições – grande mídia, mundo da moda. Em geral, o corpo, nessas condições, é visto como mercadoria, objetificado e ignorado em sua integralidade. Assim, muitas mulheres estão refletindo sobre o corpo e afirmando que não existe um modelo ao qual elas devam se conformar. Afirmar novos padrões de feminilidade – que respeitem a diversidade do corpo e a dignidade feminina – é um ato político, que reforça a compreensão e os direitos no campo da subjetividade.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.2
17.11 ÀS 16:00

Mulheres no samba: resistência e paixão à cadência - Uma homenagem a Done Ivone Lara

Daniela Name
crítica de arte e curadora

Nilcemar Nogueira
Secretária Municipal de Cultura do Rio de Janeiro

Selma Candeia
idealizadoras da Roda de Samba no Terreiro das Tias

Selminha Sorriso
Primeira Porta-Bandeira do G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis

Tia Surica
sambista carioca

rc - RODAS DE CONVERSAS

O samba é uma das principais expressões culturais carioca e nacional. A presença feminina, desde o início desse gênero musical, foi determinante para a relevância que ele ganhou. De musa inspiradora de muitas letras à produtora de sambas refinados e consagrados, a mulher se tornou importante protagonista na cena desse estilo que, sem dúvida, é síntese de luta, reconhecimento e resistência das negras no fazer artístico. Será um diálogo que dará passagem às mulheres ritmistas, carnavalescas, cantoras e compositoras.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.1
17.11 ÀS 11:00

Entrando em cena: mulheres que fazem cinema contando histórias

Diana Andringa
Jornalista e documentarista

Helena Celestino
Jornalista, roteirista, curadora, moderadora.

Janaina Oliveira (Re.Fem.)
Cineasta, Publicitária, Ativista dos Movimentos de Mulheres e Juventude Negra

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

Na arte de fazer cinema, as mulheres ocupam diferentes posições, assumem distintos lugares de fala, de poder, de fazer e de criar. O que essas mulheres tem a dizer sobre igualdade de gênero num espaço ocupado de maneira histórica por homens? O que muda na hora de contar a hstória? 

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.1
17.11 ÀS 14:00

Mulheres de ouro: o que mulheres atletas e comunicadoras esportivas tem a nos dizer?

Aline Silva
atleta olímpica

Jackie Silva
Ex jogadora de vôlei de praia e técnica de equipes

Joanna Maranhão
Nadadora olímpica e preside a ONG Infância Livre

Karine Alves
apresentadora do principal jornal mundial dos canais Fox Sports

Tuany Siqueira
atleta paraolímpica

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

Você sabia que foi apenas nos Jogos Olímpicos de 2012 que pela primeira vez as mulheres puderam competir em todas as modalidades? E que os Jogos do Rio contaram com a maior participação feminina na história olímpica? Esses dados indicam uma importante mudança na participação feminina no mundo dos esportes, com muitas conquistas e desafios. Venha dialogar com as atletas e comunicadoras esportivas que estão fazendo essa história acontecer.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.1
17.11 ÀS 16:00

Mulheres no comando: o mundo corporativo sob a ótica feminina

Ana Paula Pessoa
Presidente do Conselho de Administração da Kunumi AI e membro do conselho global do Credit Suisse

Elena Martinis
Consultora em Empreendedorismo Feminino e Negócios Sociais

Renata Malheiros
gerente adjunta da Unidade de Cultura Empreendedora do SEBRAE Nacional

Servane Mouazan
Ativista e fundadora da Oguntê

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

Liderar equipes, gerir projetos, estar a frente de grandes coorporacões, são cada vez mais espaços ocupados pelas mulheres. Além do desafio de atuar profissionalmente num ambiente muitas vezes masculino e opressor, as mulheres que se tornam líderes no mundo coorporativo contribuem para a criação de novas formas de gestão empresarial que combinam produtividade e eficiência com diversidade e inclusão.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
17.11 ÀS 10:00

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 10h00 - 11h00


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
17.11 ÀS 11:30

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 11h30 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
17.11 ÀS 14:00

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 14h00 - 15h00


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
17.11 ÀS 15:30

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 15h30 - 16h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
17.11 ÀS 17:00

Race Cards - Com a presença da artista Priscila Rezende

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Com a presença da artista Priscila Rezende, responsável pelas traduções dos textos da instalação. 

 

Duração do evento: 17h00 - 18h00


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.3
17.11 ÀS 11:00

Mulheres e crianças negligenciadas: o fenômeno Zika vírus

Leila Araújo
pedagoga, técnica de Administração em Saúde

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

No ano de 2016, o Brasil se viu às voltas com uma doença pouco conhecida: o Zika vírus. Transmitida por mosquito, a zika causou uma epidemia de nascimentos de bebês com microcefalia. As mulheres e bebês mais atingidos fazem parte de uma parcela da população brasileira que muitas vezes não tem direitos básicos reconhecidos. É um contingente que não tem acesso a rede de esgoto sanitário, água potável, sistema de saúde, dentre outras demandas. O que sabemos sobre essas questões que ainda convivemos no Brasil do século XXI?

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.3
17.11 ÀS 14:00

Mulheres indígenas e quilombolas: lutas identitárias e resistências no Brasil

Bel Juruna
agente de saúde e ativista indígena

Selma Dealdina
MILITANTE, QUILOMBOLA, IDEALIZADORA DO FESTIVAL DO BEIJU

Sônia Guajajara
líder do movimento dos povos indígenas brasileiros, Formada em Letras e em Enfermagem

ct - COMPARTILHANDO TRAJETÓRIAS

As lutas indígenas e quilombolas permanecem centrais para a promoção da justiça social para os povos tradicionais que formam a cultura originária do país. A história de violência e extermínio dos povos, suas identidades e sua memória deixou marcas profundas e irreversíveis que apenas a luta permanente por direitos e políticas de proteção poderão conter. As lutas das mulheres indígenas e quilombolas representam  a máxima resistência contra a opressão social, aliada à preservação ambiental e desenvolvimento sustentável, demarcação de terras e patrimônio imaterial.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.3
17.11 ÀS 16:00

O céu é o limite? Trajetória de mulheres na ciência espacial

Duília de Mello
astrônoma, professora e pesquisadora

Libby Jackson
Especialistas em voo espacial

Sue Nelson
Jornalista, radialista e escritora

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

Algumas mulheres fazem história atuando na produção de conhecimentos da ciência espacial. São mulheres que se colocam em desafios e caminhos pouco conhecidos e, ainda, a serem desbravados. Sendo este um contexto, majoritariamente, masculino, é fundamental reconhecer o que as mulheres vem produzindo quando se lançam nesse espaço.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Salas Expositivas
17.11 ÀS 10:00

Mulheres na coleção MAR | Visitas Guiadas

ac - ARTE E CULTURA

O Museu de Arte do Rio, sob a gestão do Instituto Odeon, abre ao público no dia 16 de novembro a exposição “Mulheres na Coleção MAR”. Em diálogo com o Festival Mulheres do Mundo (Women of the World), do qual o MAR é parceiro estratégico, a mostra apresenta um recorte de obras de artistas históricas e contemporâneas, brasileiras e estrangeiras, que integram o acervo do museu. A curadoria é assinada pela equipe de conteúdo e, pela primeira vez na história do MAR, foi realizada a partir de um processo coletivo que envolveu mulheres de todos os setores da instituição. Cerca de 30 funcionárias e colaboradoras – entre seguranças, recepcionistas, produtoras, auxiliares administrativas, advogadas, jornalistas, designers – participaram de laboratórios onde trocaram experiências de vida e conversaram ao longo de dois meses sobre o universo feminino e as múltiplas representações da mulher na arte, nos espaços culturais, na família e na sociedade como um todo. “Mulheres na Coleção MAR” está dividida em seis núcleos significativos: Retrato/Representação, Corpo Político, Geografias Transversais, Cidade e Paisagem, Abstração e Poéticas. E reúne obras de artistas como Beatriz Milhazes, Tarsila do Amaral, Tomie Ohtake, Giselle Beiguelman, Güler Ates e Marie Nivouliès de Pierrefort.

Visitas mediadas pela Equipe Educativa do Museu de Arte do Rio nas exposições: "Mulheres na coleção MAR", "Arte Democracia Utopia - Quem não luta tá morto" e "O Rio do samba: resistência e reinvenção"

Horários: 10h30, 13h30 e 15h30

Grupos com 20 pessoas

Museu do Amanhã | Auditório
17.11 ÀS 10:00

A escrevivência no centro do debate: Conceição Evaristo em partilha com Carla Fernandes

Carla Fernandes
Presidente da associação Afrolis

Conceição Evaristo
Escritora

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

Um encontro luso-brasileiro conectado na frequência entre literatura, herança cultural, racial, educação e gênero: um dos nomes mais importantes da literatura brasileira, a escritora Conceição Evaristo conversa com a jornalista, blogueira e ativista cultural luso-angolana Carla Fernandes, autora do recém lançado livro de poesia Dijidiu - Uma herança do Ouvido. Uma conversa de duas gerações de comunicadoras e ativistas sobre carreira e pertencimento racial e cultural na relação entre Brasil, África e Portugal. Imperdível.

Duração do evento: 10h00 - 10h45


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Auditório
17.11 ÀS 11:00

Saúde: poder masculino, sabedoria feminina

Edna Adan Ismail
Ativista, fundadora e diretora do Hospital Maternidade Edna Adan Ismail

Sonia Fleury
psicóloga, mestre em Sociologia e Doutora em Ciência Política

Sonia Hirsch
escritora, editora e palestrante. Autora de “Prato feito”, “Deixa sair” e “Só para mulheres”

Vitória Lourenço
doula, educadora perinatal e estudante de Ciências Sociais

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

A abordagem, muitas vezes, tradicional com foco em modelos biomédicos sobre a saúde e o corpo, de modo geral, impõe diagnósticos e tratamentos que nem sempre correspondem às verdadeiras demandas e particularidades da saúde das mulheres. Debater alternativas às concepções dominantes a respeito de saúde, medicalização, direitos reprodutivos, sexuais e ao bem-estar de modo mais amplo é não somente necessário, mas urgente.

Línguas: português, libras e inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Auditório
17.11 ÀS 14:00

Mulheres na mídia: Representatividade

Beatriz Azeredo
ECONOMISTA, DIRETORA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL E RELAÇÕES PÚBLICAS DA TV GLOBO.

Donalda Mackinnon
Diretora da BBC Escócia

Estela Renner

Maju Coutinho
jornalista

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

A mídia pode ser elemento impulsionador da busca por igualdade de gênero, ao passo que também é reflexo do quanto a sociedade avançou nessa defesa de direitos das mulheres. A representação da mulher nos produtos audiovisuais vem se transformando ao longo do tempo e rompendo com alguns estereótipos, mas ainda não atingimos o cenário ideal. O que contribuiu para mudanças importantes e o que ainda pode ser feito? Como está a representatividade das mulheres nas equipes e cargos de liderança quando falamos em produtos de cinema, TV e publicidade? Como a mídia pode influenciar mudanças positivas de comportamento?

 

Línguas: português, libras e inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Auditório
17.11 ÀS 16:00

O racismo é do indivíduo e da instituição

Andreza Jorge
Dançarina e Coordenadora pedagógica da casa das mulheres

Joana Gorjão Henriques
Jornalista e escritora

Lúcia Xavier
assistente social

Sueli Carneiro
filósofa doutora em educação e coordenadora executiva do Geledés Instituto da Mulher Negra

Yuderkys Espinosa Miñoso
escritora, pesquisadora, professora e ativista

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

O racismo se faz presente no nosso cotidiano a partir de diferentes camadas. Origina-se na formação da sociedade brasileira e estrutura o pensamento, a cultura e a forma de as relações sociais se estabelecerem historicamente. Caracteriza, ainda, o processo de desigualdade social que impõe e hierarquiza a vida, definindo a morte de uma parte significativa da população. Enfrentar as desigualdades raciais e a negação da democracia é urgente para o Brasil.

Línguas: português, libras e inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Auditório
17.11 ÀS 18:00

Na violência contra a mulher, a gente mete a colher

Jaqueline Jesus
professora de Psicologia

Jude Kelly
Fundadora do Festival Women of the World

Marijana Savic
Fundadora e diretora da ONG Atina

Roberta Eugênio
advogada

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

As mulheres são vítimas de várias formas de violência em todo o mundo. Por isso, existem diversas iniciativas voltadas para reduzir tal violência e os danos causados às vítimas, sejam legais, como a Lei Maria da Penha, ou de conscientização, com políticas, campanhas e manifestações públicas de enfrentamento da agressão às mulheres. Qual tem sido a efetividade dessas políticas? Temos outras respostas para dar?

Duração do evento: 18h00 - 19h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | LAA
17.11 ÀS 10:00

Mulheres negras pautam o futuro: pensamento computacional

Makerspace Olabi - PretaLab
organização social

of - OFICINAS

O Olabi/Pretalab propõe 8 oficinas voltadas para as relações entre tecnologia e as artes, a partir de múltiplos olhares, onde a diversidade e os direitos humanos estão no centro do processo. Os principais temas abordados são bioarte, cosméticos naturais, segurança digital e impressão 3D aplicada à produção de vestuário. Ao apresentar os princípios do pensamento computacional e da segurança digital, conecta as mulheres com a tecnologia e a inovação.

Oficina ministrada por Ana Carolina da Hora

Como podemos estabelecer uma relação benéfica com as máquinas? Pensamento computacional é o conceito que está por trás da construção dos principais sistemas tecnológicos de hoje. Nesta oficina você vai entender este conceito e a importância do pensamento computacional para o futuro.

Duração do evento: 10h00 – 12h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | LAA
17.11 ÀS 14:00

Mulheres negras pautam o futuro: impressão 3D aplicada à produção de vestuário

Makerspace Olabi - PretaLab
organização social

of - OFICINAS

O Olabi/Pretalab propõe 8 oficinas voltadas para as relações entre tecnologia e as artes, a partir de múltiplos olhares, onde a diversidade e os direitos humanos estão no centro do processo. Os principais temas abordados são bioarte, cosméticos naturais, segurança digital e impressão 3D aplicada à produção de vestuário. Ao apresentar os princípios do pensamento computacional e da segurança digital, conecta as mulheres com a tecnologia e a inovação.

Oficina ministrada por Gabi Monteiro

O processo criativo de acessórios pode nos fazer aprender e transmitir conhecimento sobre nossa história. Vamos explorar as raízes da cultura brasileira, e matrizes africanas e sua importância na formação do Brasil colônia. Utilizaremos imagens e histórias como referência para a criação de acessórios como brincos e colares por meio da impressão em 3D e a adição de outros materiais.

Duração do evento: 14h00 – 16h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | LAA
17.11 ÀS 17:00

Mulheres negras pautam o futuro: segurança digital

Makerspace Olabi - PretaLab
organização social

of - OFICINAS

O Olabi/Pretalab propõe 8 oficinas voltadas para as relações entre tecnologia e as artes, a partir de múltiplos olhares, onde a diversidade e os direitos humanos estão no centro do processo. Os principais temas abordados são bioarte, cosméticos naturais, segurança digital e impressão 3D aplicada à produção de vestuário. Ao apresentar os princípios do pensamento computacional e da segurança digital, conecta as mulheres com a tecnologia e a inovação.

Oficina ministrada por Steffania Paola

Meus dados, minhas regras: autonomia digital para ativistas

Privacidade no Facebook? Zap seguro? Nuvem? Cabos submarinos?

Nessa oficina vamos fazer juntxs uma visita guiada pelo funcionamento da internet, compreender conceitos básicos, conhecer novas (e velhas) ferramentas e estratégias para exercer nosso ativismo com autonomia, segurança e tranquilidade.

O que eu preciso levar: computador pessoal e/ou celular

 

Duração do evento: 17h00 - 19h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Lounge
17.11 ÀS 11:00

Mentorias: Vidas em Conexão

Clarisse Linke
Diretora executiva do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP)

Julia Ventura
socióloga, professora, pesquisadora, artista e ativista

Luana Génot
fundadora e diretora executiva do Instituto Identidades do Brasil

Paula Pedroza
fundadora da Audima

Renata Souza
jornalista, comunicadora popular e atual Deputada Estadual no RJ

Silvana Andrade
professora e consultora de desenvolvimento de lideranças e diversidade

Veruska Delfino
produtora cultural, ativista social e empreendedora

Viviane Duarte
CEO DO PLANO FEMININO E PRESIDENTE DO INSTITUTO PLANO DE MENINAS

vc - VIDAS EM CONEXÃO

Viviane Duarte: Plano Feminino, autoestima, educação financeira e empreendedorismo de meninas e mulheres


Clarisse Linke: políticas e programas sociais de transporte urbano e mobilidade


Silvana Andrade: desenvolvendo uma carreira sustentável.

Elisa Larkin: escritora e diretora do IPEAFRO

 
Flavia Brasil: Defensora pública e coordenadora de Defesa dos Direitos da mulher da Defensoria Pública
 
Renata Souza: Deputada eleita pelo PSOL no último pleito 2018. É cria da Maré, feminista, negra, jornalista, comunicadora popular e militante dos Direitos Humanos.
 
Veruska Delfino: É produtora cultural, ativista social e empreendedora. Também é empreendedora, junto com dois sócios, há dois anos tem uma Hamburgueria artesanal em São João de Meriti, Baixada Fluminense
 
Julia Ventura: É socióloga, professora, pesquisadora, mãe, artista, ativista pelos direitos humanos com ênfase na garantia do direito à educação. É responsável pelo projeto Aluno Presente
 
Luana Génot
 

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Lounge
17.11 ÀS 14:00

WOW Bites: Compartilhando trajetórias

Anielle Franco
Mestra em Inglês e Jornalismo pela universidade de Carolina do Norte nos Estados Unidos

Edna Adan Ismail
Ativista, fundadora e diretora do Hospital Maternidade Edna Adan Ismail

Marina Marçal
Advogada e Coordenadora do GT Mulheres Negras/OAB RJ

Moon Ribas
Ativista e artista performática

Nilcemar Nogueira
Secretária Municipal de Cultura do Rio de Janeiro

Tanzila Khan
Ativista, Escritora e fundadora da ONG Creative Alley

ct - COMPARTILHANDO TRAJETÓRIAS

Tanzila Khan é cadeirante desde a primeira infância; desde muito cedo, buscou converter suas adversidades em oportunidades. Fundou a ONG Creative Alley, que atua no empoderamento de jovens.
Moon Ribas: Participou da criação da Cyborg Foundation e da Transpecies Society, que unem tecnologia e corpo para explorar os limites da percepção e do movimento.
Edna Ismail é fundadora e diretora do Hospital Maternidade Edna Adan Ismail e uma ativista reconhecida por sua longa dedicação à saúde pública e aos direitos das mulheres na África.
Nilcemar Nogueira: Neta de Dona Zica e do mestre Cartola, sua trajetória profissional está ligada intimamente ao samba e especialmente à Mangueira, da qual foi diretora de Carnaval. Atualmente, Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro.
Marina Marçal, advogada e feminista negra, é coordenadora do grupo de trabalho de mulheres negras da Organização dos Advogados do Brasil (OAB) do Rio de Janeiro.

Línguas: português, libras e inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Lounge
17.11 ÀS 16:00

WOW Bites: Compartilhando trajetórias

Ana Clara Schindler
Designer e animadora brasileira

Angélica Moreira
pedagoga e idealizadora do Ajeum da Diáspora

Kit Redstone
escritor, diretor e performer teatral

Monique Prada
trabalhadora sexual, escritora e ativista pelos direitos das prostitutas

Paulina Chiziane
escritora

ct - COMPARTILHANDO TRAJETÓRIAS

Angelica Moreira: a memória da diáspora negra resgatada por meio da comida, no restaurante Ajeum da Diáspora
Ana Clara Schindler: audiovisual com produção de animações 2D e 3D, motion graphics e edição de vídeo.
Kit Redstone é um premiado escritor, diretor e performer teatral radicado em Londres. Indicado ao prêmio Liberdade de Expressão da Anistia Internacional, seu espetáculo teatral de inspiração autobiográfica “Testosterone” aborda os questionamentos de um homem trans sobre a formação da identidade masculina.
Monique Prada é uma das fundadoras da Central Única de Trabalhadoras e Trabalhadores Sexuais (CUTS) e, atual, presidente. 

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Observatório
17.11 ÀS 10:00

Como desenvolver e utilizar ferramentas de comunicação de impacto, voltadas para a paz

Servane Mouazan
Ativista e fundadora da Oguntê

of - OFICINAS

Neste workshop participativo, liderado pela consultora francesa Servane Mouazan, os participantes vão aprender como desenvolver e utilizar ferramentas de comunicação efetivas para causar impacto voltados para a paz, que permitam às mulheres gerar consenso e incentivar ações no âmbito local e engajar efetivamente em discussões com entidades tomadoras de decisões. Também visa ajudá-las a influenciar positivamente a colaboração entre organizações diversas. Essas ferramentas são inspiradas em potentes técnicas de coaching, desenvolvidas ao longo de anos de prática atuando junto a mulheres em empresas e ONGs.

Tradução: português-inglês

Duração do evento: 10h00 - 11h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Observatório
17.11 ÀS 14:00

Intervenção urbana

of - OFICINAS

A oficina Feminiciade_Intervenção Urbana irá trabalhar o uso do lambe-lambe como ferramenta de expressão de ideias, diálogos e forma de interação com o cenário urbano. A oficina trará um pouco sobre a história do lambe-lambe como meio de intervenção artística e política em diferentes partes do mundo e seu alcance como ferramenta de ativismo. Nesta oficina iremos promover a criação coletiva de uma intervenção urbana que dialogue com a realidade das mulheres que estarão participando e com o que acreditamos serem desafios enfrentados pelas mulheres como um todo no espaço público. Na parte prática da oficina iremos demonstrar o processo de criação de lambes. Em seguida iremos arregaçar as mangas e vivenciar a experiência da intervenção urbana através da colagem de lambes no espaço do festival.

Recomendada para mulheres a partir de 18 anos

Duração do evento: 14h00 - 16h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Observatório
17.11 ÀS 17:00

Construindo novas narrativas - Chega de Fiu Fiu

Amanda Kamanchek
jornalista e documentarista

Juliana de Faria
fundadora do ONG de direitos das mulheres "Think Olga"

of - OFICINAS

A oficina propõe apresentar como criar uma story telling e desenvolver uma campanha, desde sua causa e idealização até de sua concretização. A Think Olga contará a história da campanha Chega de Fiu Fiu, tendo como fio condutor seus processos de investigação do tema, a concepção de ferramentas como mapas digitais e pesquisas, até a realização de um documentário fundamentado em narrativas feministas. A proposta é apresentar como estas ferramentas são utilizadas para a criação de novas políticas públicas e estratégias de prevenção da violência contra mulheres e meninas.

Recomendada para público de 19 a 30 anos

Duração do evento: 17h00 - 19h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Salas Expositivas
17.11 ÀS 10:00

Intervenção: As mulheres que fizeram o Amanhã

ac - ARTE E CULTURA

Intervenção - As mulheres que fizeram o Amanhã na exposição principal do Museu do Amanhã.
Visitas mediadas O Amanhã pelo olhar das mulheres.
Equipe Educativa do Museu do Amanhã

Horários: 10h30, 13h30 e 15h30

Grupo de 20 pessoas

 

Museu do Amanhã | Terreiro
17.11 ÀS 10:00

Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninas 6 -7 anos

of - OFICINAS

Você está educando uma criança feministas? Feminismo não é só para adultos e jovens. Se você acredita que meninas deveriam ter as mesmas oportunidades na vida que os meninos, nós temos a atividade perfeita pra você. A partir de brincadeiras, jogos e criações artísticas, a oficina tem por objetivo refletir com meninas de 6 a 7 anos e de 8 a 10 anos, sobre igualdade de gênero, o que significa ser uma menina e o que elas podem fazer para ajudar a construir mais igualdade para o futuro.

Atividade exclusiva para meninas de 6 a 7 anos.

Duração do evento: 10h00 - 11h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Terreiro
17.11 ÀS 14:00

Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninos 8 -10 anos

of - OFICINAS

Você está educando uma criança feministas? Feminismo não é só para adultos e jovens. Se você acredita que meninas deveriam ter as mesmas oportunidades na vida que os meninos, nós temos a atividade perfeita pra você. A partir de brincadeiras, jogos e criações artísticas, a oficina tem por objetivo refletir com meninas de 6 a 7 anos e de 8 a 10 anos, sobre igualdade de gênero, o que significa ser uma menina e o que elas podem fazer para ajudar a construir mais igualdade para o futuro.

Atividade exclusiva para meninos de 8 a 10 anos.

Duração do evento: 14h00 - 15h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Terreiro
17.11 ÀS 16:00

Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninas 8 -10 anos

of - OFICINAS

Você está educando uma criança feministas? Feminismo não é só para adultos e jovens. Se você acredita que meninas deveriam ter as mesmas oportunidades na vida que os meninos, nós temos a atividade perfeita pra você. A partir de brincadeiras, jogos e criações artísticas, a oficina tem por objetivo refletir com meninas de 6 a 7 anos e de 8 a 10 anos, sobre igualdade de gênero, o que significa ser uma menina e o que elas podem fazer para ajudar a construir mais igualdade para o futuro.

Atividade exclusiva para meninas de 8 a 10 anos

Duração do evento: 16h00 - 17h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Terreiro
17.11 ÀS 18:00

Oficina de performance - Slap & Tickle

Liz Aggiss
dançarina e coreógrafa contemporânea

of - OFICINAS

Provocadora, anárquica e sem pudores: assim é oficina Slap and Tickle, onde a artista multimídia britânica Liz Aggiss convida o público para uma mergulho profundo nos tabus, contradições e representações sociais sobre o que é ser mulher e seus inúmeros papéis: de mães a filhas, meninas e velhas, loucas e santas. A oficina se debruça sobre diversas técnicas de dança, poesia, manipulação de objetos e música para desorientar os espectadores em uma irreverente epopeia feminista.

Linguas: Inglês
Tradução: Inglês-Português

Duração do evento: 18h00 - 20h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Praça Mauá
17.11 ÀS 10:00

Feira DELAS

EX - EXPOSIÇÕES

A Feira DELAS não é apenas um mercado ou uma exposição. É, sim, um modo de divulgar a inventividade das mulheres a partir do seu jeito de fazer cultura, viver sua cidadania e de empreender, numa perspectiva de fortalecer a criação, produção, distribuição e consumo de produtos, negócios; divulgação de campanhas e iniciativas de ativistas e organizações. Tudo isso, por mulheres organizadas em redes que atuam com temas transversais como gênero, feminismo e direitos. Espaço dedicado ao empreendedorismo, gastronomia, ativismo, causas sociais, organizações, com a presença de 200 iniciativas lideradas por mulheres. Confira a lista completa de empreendedoras e ativistas no menu Participantes. 

Duração do evento: 10h00 - 20h00

Praça Mauá
17.11 ÀS 16:00

Fúrias - Cia de Mysterios e Novidades

Cia Mystérios e Novidades
Grupo musical e teatral

ac - ARTE E CULTURA

A Grande Companhia Brasileira de Mystérios e Novidades é parte de um movimento cultural que trabalha no risco e na busca do essencial do teatro. Formada por artistas que desenvolvem um trabalho contemporâneo, a serviço da evolução do ser humano e da sociedade, afirma o Teatro de Rua como importante veículo de intervenção urbana e transformação. Seu espetáculo, com coreografias em pernas de pau e música ao vivo, busca inspiração na linguagem dos antigos atores e músicos populares, e afirmando a arte de rua como arte pública, arte para todos. Sob a tônica do imaginário cultural das tradições e raízes brasileiras, contribui para a preservação e valorização da memória cultural do país, integrando teatro e vida, tradição e contemporaneidade. 

Praça Maúa - Em frente ao Museu do Amanhã

Duração do evento: 16h00 - 17h00

Praça Mauá | Boulevard Olímpico
17.11 ÀS 10:00

#AfroGrafiteiras - Rede NAMI

ac - ARTE E CULTURA

No Boulevard Olímpico, em frente ao Armazém 1B será realizada de 10 às 16h, uma ação de grafitagem por 50 participantes do projeto #AfroGrafiteiras, idealizado e realizado pela Rede NAMI. O mural irá representar questões que perpassam a vida de mulheres negras e a resistência cultural que realizam em seu cotidiano.

Duração do evento: 10h00 - 16h00

Praça Mauá | Instalação
17.11 ÀS 10:30

Mesas de ping pong

Priscila Fiszman
Arquiteta e Artista

ac - ARTE E CULTURA

A artista plástica Priscila Fiszman projeta uma instalação com três Mesas de Ping-Pong na Praça Mauá. As mesas ficarão abertas para uso, e poderão ser utilizadas por todes durante a programação do festival WOW - Festival Mulheres do Mundo. As três mesas são três trabalhos inéditos comissionados em colaboração com o Redes da Maré especialmente para o Festival. As mesas ganham os títulos "King-Pong", "Reconfiguração Ideológica" e "Mesa das Crianças".

Duração do evento: 10h00 - 20h00

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 16:30

Mulheres em movimento mudam o mundo: não à mercantilização dos nossos corpos, vidas e territórios

ac - ARTE E CULTURA

A Batucada Feminista é um instrumento político de luta que expressa nossa ação feminista. Com a batucada, buscamos democratizar nossas vozes nas ruas. O ritmo ajuda a gerar concentração, unidade e força nos momentos de ação coletiva. Batucar é uma forma direta de ação política, de levar o feminismo para os olhares e ouvidos da rua, expressando nossas lutas e ocupando plenamente o espaço público. Latas, mulheres, tambores e baquetas em ritmo contra o machismo. Os instrumentos da batucada são feitos prioritariamente de materiais reciclados ou que fazem parte do nosso cotidiano. Quando tocamos na batucada estamos dizendo que queremos outras práticas e que não aceitamos a cultura musical machista e preconceituosa que ouvimos todos os dias. Estamos denunciando o machismo e afirmando nossas alternativas coletivas. Recomendada para mulheres de todas as idades.

Duração do evento: 16h30 - 18h00

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 18:00

DJs Tasha e Tracie

DJs Tasha e Tracie
Djs

ac - ARTE E CULTURA

As DJs Tasha e Tracie Okereke são irmãs gêmeas, paulistanas de 23 anos. Além de agitar a pista de dança, são estilistas, diretoras de arte, produtoras culturais, blogueiras, ativistas da periferia. Trabalham pela autonomia e auto-estima do jovem favelado. Atualmente estão à frente do projeto Expensive $hit, blog que aborda moda, música, arte e cultura.

Duração do evento: 18h00 - 18h30

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 18:30

Tiê

Tiê
Cantora e compositora

ac - ARTE E CULTURA

Cantora e compositora de voz doce e letras sinceras, Tiê apresenta seu quarto disco, Gaya, mesclado com grandes sucessos de seus três primeiros discos, Esmeraldas (2014), A Coruja e o coração (2011) e Sweet Jardim (2009).

Duração do evento: 18h30 - 19h00

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 19:00

DJs Tasha e Tracie

DJs Tasha e Tracie
Djs

ac - ARTE E CULTURA

As DJs Tasha e Tracie Okereke são irmãs gêmeas, paulistanas de 23 anos. Além de agitar a pista de dança, são estilistas, diretoras de arte, produtoras culturais, blogueiras, ativistas da periferia. Trabalham pela autonomia e auto-estima do jovem favelado. Atualmente estão à frente do projeto Expensive $hit, blog que aborda moda, música, arte e cultura.

Duração do evento: 19h00 - 19h30

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 19:30

Tássia Reis

Tássia Reis
Cantora e compositora

ac - ARTE E CULTURA

Com letras fortes e beats pesados, Tássia Reis traz voz para questões, constantemente, silenciadas. No WOW, Tássia Reis irá se apresentar acompanhada por DJ 3D, bateria, baixo, sax e flauta.

Duração do evento: 19h30 - 20h00

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 20:00

DJ Elisa Amaral

Elisa Amaral
DJ

ac - ARTE E CULTURA

Sinônimo de pista cheia, a DJ Elisa Amaral tem um repertório eclético e não tem medo de misturar estilos, indo do pop até o deep house e electro swing.

Duração do evento: 20h00 - 20h30

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 20:30

Flora Matos

Flora Matos

ac - ARTE E CULTURA

A rapper brasiliense Flora Matos apresenta no WOW canções de seu disco Eletrocardiograma, que mescla trap, soul, disco, e uma faixa acústica.

Duração do evento: 20h30 - 21h30

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 21:30

DJ Elisa Amaral

Elisa Amaral
DJ

ac - ARTE E CULTURA

Sinônimo de pista cheia, a DJ Elisa Amaral tem um repertório eclético e não tem medo de misturar estilos, indo do pop até o deep house e electro swing.

Duração do evento: 21h30 - 22h00

Praça Mauá | Palco Principal
17.11 ÀS 22:00

Karol Conka

Karol Conka
rapper

ac - ARTE E CULTURA

Karol Conka começou a rimar ainda no colégio. Desde 2013 consolidou-se na música brasileira, fazendo rap com sonoridade universal, aliando batidas pesadas a timbres orgânicos. Já lançou vários hits, como Tombei, Lalá, É o poder e Kaça, o mais recente entre seus trabalhos.

Duração do evento: 22h00 - 23h00

Praça Mauá | Stands
17.11 ÀS 10:00

Mulheres Ativistas

Beatriz Coelho
Me Avisa Quando Chegar

Carolayne Santos
Me Avisa Quando Chegar

Cristiane Pimentel
Me Avisa Quando Chegar

Leila Netto
Mulheres de Pedra

M.A.L.O.C.A
Movimento Alternativo Libertário, Organizado em prol da Cidadania e Apoio Social

Nicole Pessoa
Black Geek

RENFA
Rede Nacional de Feministas Antiproibicionistas

Revista Brejeiras

Suanny Nogueira
Me Avisa Quando Chegar

Tamiris Souza
Me Avisa Quando Chegar

Thais Oliveira
Me Avisa Quando Chegar

Yasmin Bardanza
Me Avisa Quando Chegar

at - ATIVISMO

As mulheres ativistas vão ocupar seis stands na Praça Mauá com exposição dos materiais de seus movimentos, coletivos e organizações da sociedade civil. Serão seis espaços de apresentação, conversa, compartilhamento de experiências e construção de espaços simbólicos de vivência e resistência.

Duração do evento: 10h00 - 20h00

 

 

A dimensão  “Mulheres em Diálogos” teve 7 categorias:

  Território de Partilha

As participantes dialogaram entre si o assunto em pauta, elaborando uma abordagem geral sobre o tema. 

  Rodas de Conversas

Teve como objetivo recortar, detalhar ou aprofundar os assuntos abordados nos Territórios de Partilhas. 

  Trocas de Experiências

Representantes de organizações compartilharam sua experiência, entre profissionais que atuam no mesmo setor e as participantes.

  Fórum de Vivências

Em formato de auditório, momento destinado à troca de ideias e opiniões sobre assuntos atuais de interesse das mulheres.

  Compartilhando Trajetórias

Mulheres incríveis compartilharam suas trajetórias, e em seguida bateram um papo com o público. 

  Vidas em Conexão 

A mentoria foi um encontro entre duas mulheres no qual se estabelecem trocas criativas e inspiradoras sobre variados temas. 

  Oficinas

As oficinas são uma metodologia de trabalho que consiste na aprendizagem e formação coletiva através da interação e troca de saberes. 

CURADORIA

REALIZAÇÃO