DCSIMG
Para ver todas as atividades que aconteceram na primeira ediçãodo Festival WOW Rio, selecione o dia, arraste para a direita e para baixo.
Clique para ver a PROGRAMAÇÃO COMPLETA EM PDF ou o LIVRETO OFICIAL DO FESTIVAL

 

 
18.11
Domingo
Armazém | Espaço Dandara Armazém | Espaço Marcia X Armazém | Espaço Nise da Silveira Armazém | Exposições MAR | Arquibancada (pilotis) MAR | Auditório MAR | Sala 2.1 MAR | Sala 2.2 MAR | Sala 3.1 MAR | Sala 3.2 MAR | Sala 3.3 MAR | Salas Expositivas Museu do Amanhã | Auditório Museu do Amanhã | LAA Museu do Amanhã | Lounge Museu do Amanhã | Observatório Museu do Amanhã | Salas Expositivas Museu do Amanhã | Terreiro Praça Mauá Praça Mauá | Boulevard Olímpico Praça Mauá | Instalação Praça Mauá | Palco Principal Praça Mauá | Stands
10:00
Aulão de Yoga
Oficina de teatro e autoestima feminino plural
Interpretando
Race Cards
Mulheres na coleção MAR | Visitas Guiadas
Reni Eddo-Lodge e Djamila Ribeiro: uma conversa aberta...
Mulheres negras pautam o futuro: limpeza consciente
Man Box
Intervenção: As mulheres que fizeram o Amanhã
Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninas...
Feira DELAS
Mulheres Ativistas
10:30
Origem
Mesas de ping pong
11:00
Origamizes: origami das raízes do Brasil
Empoderamento de meninas | Saia Empoderada
Cidades seguras para as mulheres
Meu corpo, meu desejo: liberdade sexual
Pensar fases da vida feminina como parte de sua...
É possível e necessária uma cidade segura e humana...
Mulheres na ciência e a potência do trabalho...
Parto: o direito das mulheres de protagonizarem seu...
Uma flor rompe o asfalto: mulheres que fazem História...
Mentorias: Vidas em Conexão
11:30
Race Cards
12:45
AfroSambaCoco | Coletivo Danças Culminantes
13:00
Audiovisual na disputa por novas narrativas por...
14:00
Revolta Lilith - Corpos insurgentes
Ativismo transgênero
Moradia e mobilidade plenas na cidade plural
O direito de escolha da mulher: O que estamos...
Pé na estrada: mulheres andarilhas construindo seu...
Race Cards
Violência de gênero
Política de drogas: o que as mulheres têm a propor?
Mulheres negras pautam o futuro: pensamento...
WOW Bites: Compartilhando trajetórias
Profissionais do sexo: prazer e trabalho
Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninos...
Consciência do cabelo aos pés - Coletivo Madalena...
15:00
Cultivo de cannabis - mães que plantam maconha para...
15:30
Race Cards
16:00
Envelhecimento lésbico
A invenção da região portuária do Rio de Janeiro...
Contra o encarceramento de mulheres e caminhos para...
Sexualidade e prazer: O que isso fala sobre mim?
Nossa arma é nossa voz: a produção artística...
Mulheres que se apoiam para garantir seus direitos
Juventude e participação política
WOW Bites: Compartilhando trajetórias
Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninas...
16:30
Bloco de carnaval | Mulheres rodadas
17:00
Viva Pelve
Race Cards
18:00
Apresentação circense Zabelinha
Performance interativa: Uma ode à sororidade
Economia feminista circular e solidária
Feminismos reinventados no tempo e no espaço
Afrolaje
18:30
Maria Beraldo
19:00
DJ Tamy
19:30
Desfile DASPU
Luedji Luna
20:00
DJ Tamy
20:30
Dona Onete
22:00
DJ Tamy
Armazém | Espaço Dandara
18.11 ÀS 10:00

Aulão de Yoga

Yoga na Maré
Ana Olívia

of - OFICINAS

Aulão de yoga, incluindo uma meditação inicial, exercícios respiratórios, prática de posturas físicas e relaxamento final.

Duração do evento: 10h00 - 11h00

Armazém | Espaço Dandara
18.11 ÀS 11:00

Origamizes: origami das raízes do Brasil

Joana D'arc Lage
pedagoga, arte educadora, origamista, poetisa, coach e gestora de saúde escolar

of - OFICINAS

A oficina Origamízes - origami das raízes do Brasil, a partir do compartilhamento da história de seus antepassados, os participantes irão confeccionar origamis afro para montagem de um painel onde os arquétipos ancestrais representarão as raízes brasileiras. Os relatos individuais irão formar uma poesia coletiva que revela a importância e influência da ancestralidade na vida das mulheres.

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Marcia X
18.11 ÀS 10:00

Oficina de teatro e autoestima feminino plural

Cintia Sant'Anna
Atriz e produtora cultural

Monica Saturnino
atriz e contadoras de historias negra infanto-juvenil

of - OFICINAS

A oficina de teatro e autoestima feminino plural propõe trazer uma discussão sobre a condição social da mulher evidenciando o que se transformou e o que se manteve, ao longo da história. A proposta é promover o debate, por meio do teatro, contribuindo para a formação de uma sociedade mais igualitária e para o fortalecimento da cidadania. Esta vivência vai trazer à tona reflexões sobre a violência contra mulher, abordando questões relacionadas à promoção da igualdade de gênero e a valorização da identidade.

Duração do evento: 10h00 - 12h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Marcia X
18.11 ÀS 14:00

Revolta Lilith - Corpos insurgentes

Alicia Esteves
fotógrafa, ativista e performer

Ariane Fachinetto
atriz

Carolina Bianchi
diretora, escritora e atriz

Fronte Violeta
projeto de música experimental eletrônica

Lowri Evans
atriz

Martha Kiss Perrone
diretora e atriz

Mayara Baptista
atriz

ac - ARTE E CULTURA

As criadora do espetáculo Revolta Lilith propõem nessa oficina um desdobramento do processo de criação do trabalho delas que, desde de Rózà em 2014, continua a ativar-se através do diálogo com acontecimentos políticos, feminismo e corpos insurgentes. Vamos explorar desobediência feminina, um dos grandes temas da Revolta Lilith e vamos andar pelo deserto, um lugar ficcional, inventado pela gente. Vamos deixar pra atrás o mundo velho, maneiras cansadas, e reinventar tudo. Usando performance, corpos, movimentos, palavras, histórias verdadeiras, poesia, na sala e na rua; nós criaremos uma Babilônia, um lugar no futuro construído por mulheres.

Tradução português-inglês.

Duração do evento: 14h00 - 17h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Marcia X
18.11 ÀS 18:00

Apresentação circense Zabelinha

As Marias da Graça
Grupo de teatro

ac - ARTE E CULTURA

Zabelinha é uma adaptação de um conto popular, da tradição oral brasileira, compilado por Laerte Vargas. Trata-se da história de uma heroína que espera marido, “moça casadoira, cheia de sonhos...”, um enredo que surpreende pelo final que não é feliz ao inverso das histórias tradicionais dos contos de fada. As Marias da Graça são mulheres que se organizaram e desenvolvem um fazer artístico que historicamente foi marcado pela presença masculina, produzindo culturalmente uma leitura da impossibilidade da existência do ser ”palhaça”. Sua existência através dos tempos torna-se também um instrumento de resistência e de promoção de mudanças nas relações sociais de gênero.

Duração do evento: 18h00 - 19h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Marcia X
18.11 ÀS 19:30

Desfile DASPU

Daspu

ac - ARTE E CULTURA

Um puta encontro entre moda, performance e resistência para ampliarmos e celebrarmos outrxs paradigmas sexuais, de gênero e corpo. Putas, travestis e trans da Rede Brasileira de Prostitutas (RBP), CasaNem e Transrevolução se juntam nesse desfile para dar corpo à memória viva e história do movimento brasileiro de prostitutas. A puta luta integra um gesto político e artístico que dialoga com a potência e os instrumentos de batalha dxs putas, que colocam o “corpão” na rua, que luta não só pelo reconhecimento da prostituição como trabalho, mas pela liberdade diversidade dos corpos, gêneros e sexualidades. Com a presença das putas modelxs: Lourdes Barreto, Jesus, Edna Maciel, Vânia Rezende, Carmen Lucia, Cida Vieira, Zazá, Nice, Betania Santos, Indianare Siqueira, Beth Guedes, Naomi Savage, Nilza Marinho, Ana Paula Marinho, Camila da Silva, Maria, Gisele, Letícia Suhet, Bruna, Suzy, Bianca Fernandes, Rebecca, Joana Santos, Diana, Garota X, Elba Tavares, Sabrina e Dhara Castro.


Peças icônicas do acervo, como o SUTILIGA, estarão de volta com uma nova cara, trazendo elementos da nova coleção que será lançada em 2019 e terá como tema a PUTA LUTA. A criação é do coletivo SARTBIT por Bruna Sartini e Camila Machado com arte da Laerte. Terá também o lançamento da edição especial de 30 anos do jornal Beijo da rua, que desde 1988 é parceiro impresso e virtual desta puta luta.


O desfile tem curadoria de Elaine Bortolanza e produção Coletivo Davida em parceria com RBP, Observatório da Prostituição e CasaNem. Jhoony Braz, parceiro da marca há mais de 3 anos, assina a beleza das modelos com Dani @sou_danicris, Elizabeth Alves @elizabeth_alves, Paloma @studiopalomamakeup, Tayana Maciel @taymacielmake, @anaclara.gil e Leo @leobarrosbeauty. A criação da trilha sonora é do DJ Dolores, puta apoiador do movimento.

Duração do evento: 19h30 - 20h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Nise da Silveira
18.11 ÀS 11:00

Empoderamento de meninas | Saia Empoderada

Andressa Jordão
Projeto Saia Empoderada

of - OFICINAS

O projeto “Saia Empoderada” propõe conduzir vivências e dinâmicas no Festival WOW, estimulando práticas de consciência, aprofundamento e relaxamento para refletir sobre o autocuidado como forma de empoderamento das mulheres. "A revolução começa dentro de você!"

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Nise da Silveira
18.11 ÀS 13:00

Audiovisual na disputa por novas narrativas por Spectaculu

SPECTACULU
ESCOLA DE ARTE E TECNOLOGIA

ac - ARTE E CULTURA

Arte e educação. O grupo de jovens da Spectaculu Escola de Arte e Tecnologia oferece uma roda de conversa onde propõe o compartilhamento de experiênicas do processo de produção de vídeos sobre ser mulher no munco contemporâneo.

Duração da Oficina das 13h às 14h30

Armazém | Espaço Nise da Silveira
18.11 ÀS 15:00

Cultivo de cannabis - mães que plantam maconha para fins terapêuticos

Margarete Brito
advogada

of - OFICINAS

A oficina propõe apresentar tratamentos medicinais alternativos para fins terapêuticos: mães e mulheres que fazem desse cultivo uma forma de cuidar/ tratar de seus filhos ou de si mesmas, com respaldo e amparo legal da Organização Mundial de Saúde. Serão apresentados os resultados e benefícios desse tratamento, a partir da história de mulheres que integram a Associação de Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis.

Recomendado para mulheres a partir dos 18 anos

Duração do evento: 15h00 - 16h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Espaço Nise da Silveira
18.11 ÀS 17:00

Viva Pelve

Viva Pelve
Dora Selva

of - OFICINAS

Essa é uma oficina tem a potência de resgatar movimentos básicos relacionados às formas cíclicas e espirais, presentes em toda a natureza, e em praticamente todas as danças ancestrais e rituais ao redor do mundo. As técnicas de movimento a serem trabalhadas estão relacionadas à ancestralidade, ao resgate de nossas raízes, a cura de memórias limitantes, a práticas de resistência e principalmente auto conhecimento. Trabalhando com o entendimento dos chakras, esse movimento potencializa o corpo a se movimentar livremente, estimulando o acesso à kundalini - a grande serpente adormecida na base da coluna vertebral, além de trabalhar as noções de bem estar, saúde física, mérito, prazer, produtividade e criatividade.

Duração do evento: 17h00 - 18h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Armazém | Exposições
18.11 ÀS 10:00

Interpretando

Bruna Manso
fotógrafa

at - ATIVISMO

A exposição "Interpretando" foi produzida a partir de um ensaio fotográfico real. Os "personagens" são meninas do Morro da Providência inseridas precocemente em diferentes contextos durante a infância/adolescência. São elas que dividem com as mães as tarefas domésticas, encaram ao mesmo tempo escola e gestação, lidam com a ausência de laços paternos, enfrentam as mais diversas e complexas situações em um momento singular do seu desenvolvimento. "Interpretando" propõe uma reflexão sobre a perspectiva dessas futuras mulheres, possibilitando que elas brinquem de ser quem são enquanto a vida adulta insiste em se apressar.

Duração do evento: 10h00 - 20h00

Armazém | Exposições
18.11 ÀS 10:30

Origem

Coletiva Era
fotógrafas

at - ATIVISMO

Uma exposição sobre mulheres, senhoras comuns que trazem resistência e persistência no corpo. Quando pensamos em mulheres fortes, lembramos de diversas mulheres que têm sua luta explícita no próprio cotidiano, estabelecendo-a através da própria existência. Nossa ancestralidade é nossa força. A mostra pretende trazer retratos do feminismo contemporâneo que ativa o encontro das diferenças e dos enfrentamentos diários pelos quais passam aquelas que vieram antes de nós.

Duração do evento: 10h00 - 20h00

MAR | Arquibancada (pilotis)
18.11 ÀS 11:00

Cidades seguras para as mulheres

Carolina Coelho
mestra em Políticas Públicas em Direitos Humanos e Assistente de Programas da ActionAid Brasil

Livia Salles
Assessora de Programas e Políticas da ActionAid Brasil e mestra em Planejamento Urbano

Rachel Barros
educadora popular na Ong Fase - equipe Rio de Janeiro

of - OFICINAS

Quais são as dificuldades que enfrentamos por simplesmente sermos mulheres? Nesta oficina, fazemos uso da Cartografia Social como metodologia, construindo juntas um mapa da região focal, apontando áreas importantes e críticas em que sofrem ou vivem dificuldades, impedimentos e violências. Durante o mapeamento, conduzimos todas à reflexão sobre a falta do olhar das mulheres no planejamento urbano. O objetivo é construir ferramentas que podem ser reproduzidas em conversas com amigas, vizinhas e outras mulheres do nosso dia-a-dia, em seus bairros e regiões de circulação, tendo informação em mãos para denunciar problemas e violências e demandar direitos.

Duração do evento: 11h00 - 12h30

MAR | Arquibancada (pilotis)
18.11 ÀS 12:45

AfroSambaCoco | Coletivo Danças Culminantes

Conceição Carlos
bailarina-atriz-instrumentista

of - OFICINAS

Esta vivência mistura dança com as técnicas de perna de pau, com o objetivo de estimular a criação artística. Cada participante descobre seu ritmo de aprendizado, observa e redesenha os próprios limites e potências, de maneira lúdica e consciente. Através da dança é possível ensinar noções de cidadania, autoestima e direito à cidade. Além do ganho de maior consciência corporal, a perna de pau tem a capacidade de empoderar quem a veste, deste modo, estimula a interação social entre os participantes para os pensamentos e ações coletivas. Não é necessária experiência prévia com a técnica. A oficina é aberta para todos os públicos! 

Duração do evento: 12h45 - 14h00


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Arquibancada (pilotis)
18.11 ÀS 16:00

Envelhecimento lésbico

Dayana Gusmão
assistente social e fundadora da Coletiva Resistência Lesbi de Favelas

Michele Seixas
assistente social e cursa especialização em Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade

Yone Lindgren
militante e ativista

rc - RODAS DE CONVERSAS

Com o objetivo de promover um espaço de acolhida sapatão, o tema do envelhecimento lésbico e suas complexidades será debatido com profundidade. Esta também será uma atividade para fortalecer as iniciativas lésbicas que organizam as mulheres em torno da luta pelo direito de liberdade das suas escolhas e pelo amparo do Estado.

Duração do evento: 16h00 - 17h30

MAR | Arquibancada (pilotis)
18.11 ÀS 18:00

Performance interativa: Uma ode à sororidade

Flávia Reis
Formada em artes cênicas na Universidade Federal do Estado Rio de Janeiro

ac - ARTE E CULTURA

As atrizes Flavia Reis e Patrícia Pinho realizam um performance interativa para celebrar a liberdade da mulher moderna, suas conquistas, escolhas e desejos.

Duração do evento: 18h00 - 19h00

MAR | Auditório
18.11 ÀS 11:00

Meu corpo, meu desejo: liberdade sexual

Fátima Lima
antropóloga, pesquisadora e professora

Kamilla Valentim
estudante de Psicologia

Michele Seixas
assistente social e cursa especialização em Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade

Rosangela Castro
ativista do movimento de lésbicas e fundadora da Rede Nacional de Afros LGBT

Yone Lindgren
militante e ativista

fv - FÓRUM DE VIVÊNCIAS

A liberdade em relação à orientação sexual é um direito fundamental que o Estado, historicamente, não reconheceu ou respeitou. Foi contra essa violência que a luta LGBTQI nasceu, cresceu e se amplia, a fim de garantir a visibilidade e os direitos dessa população tão agredida. Nesse painel, vamos discutir os caminhos a serem trilhados para que o Brasil deixe de ser um dos países que mais mata lésbicas, travestis e pessoas trans no mundo.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Auditório
18.11 ÀS 14:00

Ativismo transgênero

Agrippina Manhattan
artista visual pesquisadora

Gilmara Cunha
Fundadora do Grupo Conexão G de Cidadania LGBT de Favelas

Kit Redstone
escritor, diretor e performer teatral

Luiza Valentim
mulher transexual e mãe

fv - FÓRUM DE VIVÊNCIAS

Uma das principais violências vividas por pessoas trans se dá no campo profissional: os estigmas e preconceitos contra elas se expressam de forma ainda mais cruel no mercado de trabalho. Sua competência, qualificação e experiência são ignoradas em função de sua condição singular em um mundo onde a diversidade ainda não é um valor, mas um incômodo. Superar esse preconceito é um dos maiores desafios das pessoas trans. E elas não podem fazer isso sozinhas. Assim, venha ouvir neste painel as vivências de pessoas que, com extraordinária coragem, desafiam os padrões e lutam de forma incessante para terem o devido reconhecimento.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Auditório
18.11 ÀS 16:00

A invenção da região portuária do Rio de Janeiro pelas mulheres

Cintia Sant'Anna
Atriz e produtora cultural

Elen Ferreira
Colaboradora e membro do Coletivo Negro Luisa Mahin

Laura Taves
artista, arquiteta e urbanista

Mãe Celina de Xangô
produtora de rádio e Produtora Cultural

fv - FÓRUM DE VIVÊNCIAS

A região portuária pode ser considerada a primeira periferia do Brasil. Abriga o maior porto escravagista da história – o Cais do Valongo – e bem perto dele está o Morro da Providência – onde nasceu a primeira favela do país. Na região do porto, entre o preconceito e a resistência à dura realidade social, surgiram o samba e tantas outras manifestações culturais, com forte presença das mulheres. Visibilizar essa presença e essa história são os objetivos deste painel.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Auditório
18.11 ÀS 18:00

Economia feminista circular e solidária

Cris dos Prazeres
produtora cultural, roteirista e ativista social

Graciete Santos
socióloga, educadora social e ativista do movimento agroecológico

Marinalva Alves
costureira, empreendedora e artesã

fv - FÓRUM DE VIVÊNCIAS

A economia é parte da nossa experiência cotidiana de produção do viver e inclui não só o trabalho remunerado, mas todo o trabalho doméstico e de cuidados – realizado quase sempre pelas mulheres. A economia com recorte feminista procura olhar para toda a produção do viver de forma solidária e circular, buscando criar outros paradigmas para o processo produtivo que não se reduza à lógica do mercado e sua busca irracional apenas pelo lucro. Vamos avançar nesse caminho central para a humanidade contemporânea.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 18h00 - 19h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.1
18.11 ÀS 11:00

Pensar fases da vida feminina como parte de sua essência

Ana Paula Santos
Diretora Jurídica e compliance da Care Plus

Cris dos Prazeres
produtora cultural, roteirista e ativista social

Kareemi
jornalista, palestrante motivacional e facilitadora em desenvolvimento humano

Laís Perazo
médica e Diretora de Relações Institucionais da Unitedhealth Group Brasil

rc - RODAS DE CONVERSAS

O corpo fala, o corpo diz sobre as fases da vida das mulheres. Infância, adolescência, juventude, maturidade, velhice, menstruação e menopausa. São ciclos que marcam e caracterizam nosso viver. Vamos conversar sobre isso?

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.1
18.11 ÀS 14:00

Moradia e mobilidade plenas na cidade plural

Juliana Vitorino
Coordenadora estadual do MTST/PE e coordenadora estadual do Círculo Palmarino/PE

Kalpana Viswanath
co-fundadora e presidente da Safetipin

Mércia Ribeiro
Pedagoga e militante, uma das diretoras na diretoria ampliada de UNAS

Tanzila Khan
Ativista, Escritora e fundadora da ONG Creative Alley

rc - RODAS DE CONVERSAS

As cidades são provas vivas da diversidade das pessoas. Espaços de encontro, descobertas, mas também, de medo, hostilidade e tensões. E nada expressa mais essa complexidade que as questões da moradia e da mobilidade. Ela vai além da dimensão física, da circulação. Ela também é cultural, social, educacional, e, acima de tudo, simbólica já que passa pelo sentimento de pertencimento a toda cidade e o direito de nela poder circular de forma plena. Vamos, então, refletir sobre a complexidade e os limites de se viver nas cidades.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.1
18.11 ÀS 16:00

Contra o encarceramento de mulheres e caminhos para enfrentá-lo por meio do acesso à justiça

Deborah Coles
Diretora da ONG Inquest (oferece apoio, orientação e atendimento a advogados e familiares de presos)

Juliana Borges
escritora

Luciana Boiteux
professora

rc - RODAS DE CONVERSAS

Nos últimos 16 anos, a população feminina brasileira encarcerada aumentou aproximadamente 700%, a maioria de reús primárias, sem sentença condenatória e tendo cometido crimes não violentos. A forma pela qual se está punindo em nosso país não é eficaz e só reproduz violências. Achar caminhos alternativos que preservem direitos e a dignidade das mulheres que vivem nessa condição é fundamental. Será um bom momento para refletir e pensar como engajar a sociedade nesse tema, considerado, muitas vezes, tabu.

Línguas: português, libras, inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.2
18.11 ÀS 11:00

É possível e necessária uma cidade segura e humana para as mulheres

Cristina Buarque
economista e pesquisadora

Denise Dora
ativista e advogada de Direitos Humanos

Isabela Souza
Diretora de Projetos de Arte e Território do Observatório de Favelas

Kalpana Viswanath
co-fundadora e presidente da Safetipin

rc - RODAS DE CONVERSAS

As cidades são seus equipamentos, serviços e as relações estabelecidas pelas pessoas. Ela é o espaço do encontro e da colaboração na sua diversidade. Para outros, todavia, a cidade é espaço hostil, do medo, da eliminação da diferença. Há, então, dois projetos de cidade em disputa. Você tem clareza do seu? Essa questão é fundamental para a qualidade de vida de todos as pessoas da cidade. O morar e o se movimentar, tanta física como simbolicamente, pela cidade constituem o coração dos problemas e soluções das cidades, que impactam a vida cotidiana das pessoas. Vamos falar sobre isso?

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.2
18.11 ÀS 14:00

O direito de escolha da mulher: O que estamos aprendendo com outros países?

Lilián Celiberti
Militante, coordenadora do Cotidiano Mujer, e integrante da Articulação Feminista Marcosur

Tatiana Moura
Diretora executiva do Promundo e coordenadora de projetos sobre gênero e violência armada

Verónica Gago
doutora em ciências sociais, professora e pesquisadora

rc - RODAS DE CONVERSAS

O procedimento do aborto é encarado de diferentes maneiras ao redor do mundo. Novas políticas têm sido dadas, em diferentes países, para garantir os direitos das mulheres nesse campo. Venha conhecer as experiências de lutas das mulheres e a legislação do Uruguai, Brasil, Reino Unido e Colômbia. Ter uma compreensão global das lutas neste campo é crucial para que avancemos na luta pela democracia e pelos direitos individuais em nossos tempos.

Recomendada para maiores de 18 anos.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 2.2
18.11 ÀS 16:00

Sexualidade e prazer: O que isso fala sobre mim?

Carol Teixeira
escritora, filósofa e instrutora de tantra

Kareemi
jornalista, palestrante motivacional e facilitadora em desenvolvimento humano

Mirian Goldenberg
Antropóloga e escritora

rc - RODAS DE CONVERSAS

A sexualidade é parte importante da vida. Independente do sexo, do gênero ou da orientação sexual, somos seres atravessados pela sexualidade. Explorar e valorizar os próprios desejos é fundamental para que as mulheres aliem cada vez mais a sexualidade ao prazer. Dizem que as brasileiras e os brasileiros gostam muito de sexo, mas será que é isso o que as pessoas estão buscando em uma relação?

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.1
18.11 ÀS 11:00

Mulheres na ciência e a potência do trabalho realizado em rede

Marcia Barbosa
pesquisadora e professora

Priscilla Sousa Silva
professora, pesquisadora e coordenadora do projeto de extensão universitária Ciência no Feminino

Timandra Harkness
cientista, apresentadora, escritora e comediante britânica

Vera Maria Ferreira
pesquisadora e vice-curadora da coleção de mamíferos do inpa

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

De que maneira a atuação das mulheres em redes de cientistas pode contribuir não só para as mulheres serem mais respeitadas, tanto em sua competência, quanto em suas particularidades, quanto para o avanço do conhecimento,que se constrói em bases mais humanistas e sustentáveis.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.1
18.11 ÀS 14:00

Pé na estrada: mulheres andarilhas construindo seu próprio caminho

Tamy Rosele Penz
Escritora

Thaís Rosa Pinheiro
turismóloga, empreendedora e guia de turismo

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

Mulheres colocam o pé na estrada e buscam a liberdade de viver suas próprias experiências. É cada vez mais comum cruzarmos com mulheres que viajam sozinhas pelo Brasil e pelo mundo. Qual o melhor destino? Qualquer um, basta você se preparar. Se você não experimentou ainda, venha conhecer os desafios e delícias dessas mulheres que optaram por viajar na melhor companhia do mundo: a sua!

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.1
18.11 ÀS 16:00

Nossa arma é nossa voz: a produção artística contemporânea pela promoção da igualdade de gênero

Ana Paula Gualberto
produtora executiva da Arena Carioca Dicró

Andreza Jorge
Dançarina e Coordenadora pedagógica da casa das mulheres

Marta Fernandéz
professora e diretora do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da PUC-Rio

Quitta Pinheiro
performer, fotógrafa, produtora cultural, comunicadora e ativista

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

Um diálogo entre diferentes experiências que relacionam a criação artística e o questionamento de formas tradicionais desses fazeres. Temos hoje produção relevante em linguagens como o grafite, o RAP, a fotografia, o slam e outras que estimulam questionamentos ao machismo, a homofobia e o racismo no cotidiano.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
18.11 ÀS 10:00

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 10h00 - 11h00


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
18.11 ÀS 11:30

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 11h30 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
18.11 ÀS 14:00

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 14h00 - 15h00


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
18.11 ÀS 15:30

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 15h30 - 16h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.2
18.11 ÀS 17:00

Race Cards

Priscila Rezende
artista visual e fotógrafa

Selina Thompson
artista e performer

ac - ARTE E CULTURA

Race Cards é uma instalação participativa que convida o público a repensar sobre as tensões raciais, violências e discriminações presentes em nosso cotidiano. Durante a imersão criada pela artista inglesa Selina Thompson, somos convidados em pequenos grupos a elaborar respostas para perguntas tão delicadas quanto difíceis: Qual o impacto psicológico a longo prazo a supremacia branca tem sobre pessoas negras? Por que as pessoas acreditam que o racismo vai acabar por conta própria com o passar do tempo? Radicada em Leeds, na Inglaterra, Selina Thompson tem uma obra de caráter lúdico, participativo e intimista, que lança um olhar sobre questões de identidade e seus reflexos em nossos corpos, vidas e espaços.

Duração do evento: 17h00 - 18h00


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.3
18.11 ÀS 11:00

Parto: o direito das mulheres de protagonizarem seu próprio corpo

Bernadette Bousada
médica obstetra

Camila Habdallah
assistente social, Especialista em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos e Doula

Fernanda Magno
doula, bacharel em Administração e assistente social especializando-se em Saúde Materna Infantil

Marcia Zanelatto
ESCRITORA, ROTEIRISTA E DRAMATURGA

Morgana Eneile
Doula

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

O crescimento do movimento pelo parto natural no país é expressivo da necessidade de discutirmos o formato cirúrgico e interventor com o qual a medicina tradicional tem conduzido o assunto. Cada vez mais mulheres optam por experimentar o protagonismo de conduzir seu próprio processo de parturiente, com benéficos comprovados para sua saúde e de seus bebês. Reconhecer o protagonismo da mulher durante o processo gestação e o que isso tem de crescimento e afirmação da subjetividade feminina pode ser um bom papo.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.3
18.11 ÀS 14:00

Violência de gênero

Francisca Dayane
estudante de Pedagogia

Kamila Camillo
psicóloga e cursando especialização em Práticas Grupais

Maria Alice Vieira
comerciante e realizadora de evento de Forró na favela

Miriam Krenzinger
Professora e escritora

rc - RODAS DE CONVERSAS

Uma recente pesquisa realizada no Brasil expôs em números o tamanho da ferida aberta pela violência de gênero no país: 503 mulheres são vítimas de agressão física a cada hora, cometidas por parceiros, ex-parceiros, conhecidos e até estranhos. Venha dialogar sobre as muitas faces da violência de gênero com mulheres que romperam as barreiras de silêncio que envolvem o tema.

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Sala 3.3
18.11 ÀS 16:00

Mulheres que se apoiam para garantir seus direitos

Amalia Fischer
coordenadora geral do ELAS - Fundo de Investimento Social

Jude Kelly
Fundadora do Festival Women of the World

Lebogang Ramafoko
presidente do Soul City e mestre em Administração Pública

Marie-Sophie Pawlak
engenheira e presidente fundadora da associação francesa Elles Bougent

Rafia Qureshi
Diretora executiva da The Womanity Foundation

te - TROCAS DE EXPERIÊNCIAS

Mulheres de diferentes organizações voltadas para os direitos das mulheres reúnem-se para compartilhar sobre seus trabalhos, desafios e conquistas. Um momento para refletir sobre o impacto de iniciativas sociais lideradas mulheres que tem como principal objetivo efetivar mudanças e fomentar processos que contribuam para melhorar a vida de outras mulheres.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

MAR | Salas Expositivas
18.11 ÀS 10:00

Mulheres na coleção MAR | Visitas Guiadas

ac - ARTE E CULTURA

O Museu de Arte do Rio, sob a gestão do Instituto Odeon, abre ao público no dia 16 de novembro a exposição “Mulheres na Coleção MAR”. Em diálogo com o Festival Mulheres do Mundo (Women of the World), do qual o MAR é parceiro estratégico, a mostra apresenta um recorte de obras de artistas históricas e contemporâneas, brasileiras e estrangeiras, que integram o acervo do museu. A curadoria é assinada pela equipe de conteúdo e, pela primeira vez na história do MAR, foi realizada a partir de um processo coletivo que envolveu mulheres de todos os setores da instituição. Cerca de 30 funcionárias e colaboradoras – entre seguranças, recepcionistas, produtoras, auxiliares administrativas, advogadas, jornalistas, designers – participaram de laboratórios onde trocaram experiências de vida e conversaram ao longo de dois meses sobre o universo feminino e as múltiplas representações da mulher na arte, nos espaços culturais, na família e na sociedade como um todo. “Mulheres na Coleção MAR” está dividida em seis núcleos significativos: Retrato/Representação, Corpo Político, Geografias Transversais, Cidade e Paisagem, Abstração e Poéticas. E reúne obras de artistas como Beatriz Milhazes, Tarsila do Amaral, Tomie Ohtake, Giselle Beiguelman, Güler Ates e Marie Nivouliès de Pierrefort.

Visitas mediadas pela Equipe Educativa do Museu de Arte do Rio nas exposições: "Mulheres na coleção MAR", "Arte Democracia Utopia - Quem não luta tá morto" e "O Rio do samba: resistência e reinvenção"

Horários: 10h30, 13h30 e 15h30

Grupos com 20 pessoas

Museu do Amanhã | Auditório
18.11 ÀS 10:00

Reni Eddo-Lodge e Djamila Ribeiro: uma conversa aberta sobre gênero, raça e feminismo

Djamila Ribeiro
Mestre em filosofia política, feminista e pensadora brasileira

Reni Eddo-Lodge
jornalista, escritora e podcaster britânica

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

Abrindo o último dia do WOW Rio de Janeiro, um encontro que vai permanecer em você por um longo tempo: em uma cadeira, a escritora e jornalista britânica Reni Eddo-Lodge - autora do bestseller internacional "Why I'm not longer talking to white people about race" (Porque eu não falo mais sobre raça com pessoas brancas). Reni, que faz sua primeira visita ao Brasil, foi apontada pelo jornal The Guardian como uma das “30 pessoas mais interessantes com menos de 30 anos no mundo digital” e uma das “100 mulheres mais inspiradoras” pela revista Elle. Ela vai partilhar sua densa e engajada reflexão com uma importante pensadora brasileira da atualidade, a filósofa Djamila Ribeiro. Em uma conversa aberta com você e todas mais, elas tratarão sobre sociedade contemporânea, raça, lugar de fala e feminismo. Sinta-se acolhida.

Duração do evento: 10h00 - 10h45


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Auditório
18.11 ÀS 11:00

Uma flor rompe o asfalto: mulheres que fazem História na política. Uma homenagem à Marielle Franco

Benedita da Silva
Primeira mulher negra eleita senadora no Brasil

Korto R. Williams
chefe global da ActionAind International para a área de direitos das mulheres

Talíria Petrone
professora e vereadora de Niterói

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

No mundo atual, cada vez mais mulheres fazem parte da vida política do país, assumindo cargos legislativos e executivos. Desafios e perspectivas do exercício dessa atividade, ainda, majoritariamente,  ocupada por homens, serão partilhados por mulheres nessas posições de poder.

Línguas: português, libras e inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Auditório
18.11 ÀS 14:00

Política de drogas: o que as mulheres têm a propor?

Ingrid Farias
fundadora da Rede Nacional de Feministas Antiproibicionistas (RENFA)

Julita Lemgruber
Socióloga e uma das coordenadoras do CESeC

Nathália Oliveira
bacharel em Ciências Sociais , coordena a Iniciativa Negra por Uma Nova Política de Drogas

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

Construir uma nova política de drogas é imprescindível para reverter o quadro atual de violência que atinge as juventudes no país. A população jovem sofre as mais sérias consequências da repressão, da proibição, repressão e criminalização do uso de drogas. Venha dialogar com uma visão humanizada sobre o assunto, preocupada com o tratamento e cuidado dos usuários.

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Auditório
18.11 ÀS 16:00

Juventude e participação política

Cristina Buarque
economista e pesquisadora

Lola Werneck
Coordenadora do pilar Liderança Juvenil

Mariéme Jamme
Empresária, blogueira , tecnologista e empreendedora social africana

Mikayla Jones
gerente sênior do Programa de Birmingham

Sil Bahia
Diretora de Programas do Olabi, idealizadora do PretaLab

Thamyra Thâmara
Jornalista, mestra em Cultura e Territorialidade e cofundadora do GatoMÍDIA

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

A juventude tem se apropriado da tecnologia e da internet com criatividade. Os jovens, em especial mulheres, estão propondo mudanças para o mundo por meio de iniciativas que buscam reconstruir tanto a forma com que as mulheres e negras são representadas quanto a maneira de interferir politicamente nos rumos da sociedade.

Línguas: português, libras e inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Auditório
18.11 ÀS 18:00

Feminismos reinventados no tempo e no espaço

Heloísa Buarque de Hollanda
ensaísta, escritora, editora, crítica literária e pesquisadora

Jude Kelly
Fundadora do Festival Women of the World

Schuma Schumaher
ativista feminista, escritora e pesquisadora

Shameem Sheik Dastagir
gerente internacional da ActionAid International

Tainá de Paula
arquiteta e urbanista

tp - TERRITÓRIO DE PARTILHA

Nos últimos anos, um número cada vez maior de mulheres se identifica com o pensamento e com a ação de feministas. Esse tem sido um caminho feminino, sem dúvida, de empurrar uma agenda no campo democrático, na busca pela igualdade e liberdade de viver, a partir de suas próprias regras. Nesse percurso, o diálogo sobre feminismo abarca diferentes visões e movimentos que convivem e se somam na luta histórica, independente de qual seja o contexto político, financeiro, econômico e ecológico em que vivemos.

Duração do evento: 18h00 - 19h30 


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | LAA
18.11 ÀS 10:00

Mulheres negras pautam o futuro: limpeza consciente

Makerspace Olabi - PretaLab
organização social

of - OFICINAS

O Olabi/Pretalab propõe 8 oficinas voltadas para as relações entre tecnologia e as artes, a partir de múltiplos olhares, onde a diversidade e os direitos humanos estão no centro do processo. Os principais temas abordados são bioarte, cosméticos naturais, segurança digital e impressão 3D aplicada à produção de vestuário. Ao apresentar os princípios do pensamento computacional e da segurança digital, conecta as mulheres com a tecnologia e a inovação.

Oficina ministrada por Alline Cipriano e Fernanda Sal:

Venha dar um mergulho no universo dos produtos de limpeza naturais, fitoterápicos e da aromacologia. Nesta oficina, você vai aprender a identificar e experimentar algumas plantas com ação bactericida, fungicida e antisséptica e a desenvolver seu próprio DESINFETANTE MULTIUSO NATURAL, de acordo com sua necessidade, com matérias primas de baixo custo e fáceis de conseguir. Um produto de limpeza consciente é uma solução que protege sua saúde, minimizando o impacto ao meio ambiente.

 

 

Duração do evento: 10h00 - 12h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | LAA
18.11 ÀS 14:00

Mulheres negras pautam o futuro: pensamento computacional

Makerspace Olabi - PretaLab
organização social

of - OFICINAS

O Olabi/Pretalab propõe 8 oficinas voltadas para as relações entre tecnologia e as artes, a partir de múltiplos olhares, onde a diversidade e os direitos humanos estão no centro do processo. Os principais temas abordados são bioarte, cosméticos naturais, segurança digital e impressão 3D aplicada à produção de vestuário. Ao apresentar os princípios do pensamento computacional e da segurança digital, conecta as mulheres com a tecnologia e a inovação.

Oficina ministrada por Ana Carolina da Hora

Como podemos estabelecer uma relação benéfica com as máquinas? Pensamento computacional é o conceito que está por trás da construção dos principais sistemas tecnológicos de hoje. Nesta oficina você vai entender este conceito e a importância do pensamento computacional para o futuro.

Duração do evento: 14h00 - 16h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Lounge
18.11 ÀS 11:00

Mentorias: Vidas em Conexão

Ana Inês Sousa
Professora da UFRJ e pesquisadora do NUPENSC

Isabella Rosado Nunes
jornalista e consultora

Joana D'Arc Félix de Souza
Pesquisadora e professora, cursou Química na Unicamp e em Harvard

Luiza Mello
produtora executiva de exposições, curadora e editora de livros de arte

Manoela Miklos
doutora em RI e ativista da campanha #AgoraÉQueSãoElas

Shirley Villela
coordena a Casa das Mulheres da Maré

Silvana Andrade
professora e consultora de desenvolvimento de lideranças e diversidade

vc - VIDAS EM CONEXÃO

Joana D’arc Felix: ciência voltada para o reaproveitamento de resíduos que se tornam produtos sustentáveis.
Isabella Rosado Nunes: comunicação, educação e arte para o desenvolvimento e formação de pessoas.
Luiza Mello: desenvolvimento de propostas culturais com a produtora Automatica.
Manoela Miklos: ativista feminista idealizadora da campanha "Agora é que são elas".
Shirley Villela: a Casa das Mulheres da Maré, local de acolhimento, invenção e mudança de atitute.
Ana Inês Sousa: investimento e promoção da saúde de mulheres idosas.
Silvana Andrarde: diversidade no mundo corporativo.

Línguas: português, libras
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 11h00 - 12h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Lounge
18.11 ÀS 14:00

WOW Bites: Compartilhando trajetórias

Cristiane Sobral
Escritora, atriz e professora de teatro

Eleutéria Amora da Silva
fundadora e coordenadora da Casa da Mulher Trabalhadora

Mariana Xavier
assistente social e coordena o Pré-Vestibular Social Santa Cruz Universitário

Tereza Onã
Pesquisadora e coordenadora do Núcleo de Memória e Identidade da Redes de Desenvolvimento da Maré

ct - COMPARTILHANDO TRAJETÓRIAS

Cristiane Sobral, escritora, atriz e professora de teatro, foi a primeira atriz negra formada em interpretação teatral pela UNB
Tereza Onã é pesquisadora e coordenadora do Núcleo de Memória e Identidade da Redes de Desenvolvimento da Maré. É também cantora.
Eleutéria Amora: fundadora da Casa da Mulher Trabalhadora e lutadora pelo direito das mulheres
Mariana Xavier: uma das criadoras do pré-vestibular social Santa Cruz Universitário, voltado para a ampliação do acesso à universidade entre a população oriunda de favelas e periferias.

Línguas: português, libras e inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 14h00 - 15h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Lounge
18.11 ÀS 16:00

WOW Bites: Compartilhando trajetórias

Antonia Pellegrino
CIENTISTA SOCIAL, ESCRITORA E ROTEIRISTA

Denise Crioula
Socióloga e fundadora da Associação Conquista Social

Monica Benicio
arquiteta urbanista

Rayanne Soares
trabalha na prevenção de violência na ONG Luta pela Paz

ct - COMPARTILHANDO TRAJETÓRIAS

Denise Criola criou o projeto Mãos que Criam, que ensina técnicas de artesanato e reciclagem e apoia adultos a investir na educação.
Rayanne Soares trabalha na prevenção de violência na ONG Luta pela Paz, onde iniciou sua trajetória
como aluna aos 10 anos, e aos 12 anos foi integrante do conselho jovem da organização.
Antonia Pellegrino é cientista social, escritora e roteirista premiada. Dirigiu o documentário Primavera das Mulheres e é curadora do blog Agora é que são Elas.
Mônica Benicio, arquiteta, militante pelos direitos humanos e companheira de Marielle por 14 anos.

Línguas: português, libras e inglês
Tradução: português-inglês

Duração do evento: 16h00 - 17h30


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Observatório
18.11 ÀS 10:00

Man Box

of - OFICINAS

A oficina busca desconstruir os lugares sociais em que os homens são encaixados desde crianças e acabam por se consolidar na fase adulta. Através de dinâmicas e atividades participativas os homens serão convidados a refletir sobre esses lugares e perceberão como as caixinhas das normas de gênero e do que é ser homem afetam as suas dinâmicas sociais, de saúde e auto cuidado.

Recomendada para homens a partir de 19 anos

Duração do evento: 10h00 - 12h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Observatório
18.11 ÀS 14:00

Profissionais do sexo: prazer e trabalho

Edna Maciel
prostituta presidente da Associação de Prostitutas do Amapá

Laura Murray
pesquisadora executiva do Observatório da Prostituição/UFRJ

Soraya Simões
professora adjunta do IPPUR-UFRJ

Vânia Rezende
prostituta e Coordenadora geral da APPS - Associação Pernambucana das Profissionais do Sexo

of - OFICINAS

A oficina “Profissionais do sexo:prazer e trabalho” será conduzida por ativistas da Rede Brasileira de Prostitutas em uma metodologia de interação com o público que visa tornar visível algumas imagens que compõem o imaginário acerca da prostituição. A Oficina está organizada em dois momentos. No primeiro, o público será convidado a imaginar as muitas dimensões do trabalho sexual, compondo uma categoria profissional, tal como faz o Ministério do Trabalho e Emprego para inclusão de uma categoria na sua Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). A partir dos quadros que o público irá compor, poderão surgir contextos, valores, estereótipos, recortes etários, de gênero, raça etc, e serão esses, então, os objetos a serem trabalhados pelas proponentes, no segundo momento da oficina. Nesta parte final, haverá então uma apresentação da categorização da prostituição tal como figura na CBO e a apresentação dos desdobramentos desse reconhecimento do trabalho sexual pelo MTE, através das variadas ações de incidência política Daspu, PutaDei, Mulheres Seresteiras, Zona Legal, Oficina do Palavrão etc.

Recomendada para maiores de 18 anos

Duração do evento: 14h00 - 16h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Salas Expositivas
18.11 ÀS 10:00

Intervenção: As mulheres que fizeram o Amanhã

ac - ARTE E CULTURA

Intervenção - As mulheres que fizeram o Amanhã na exposição principal do Museu do Amanhã.
Visitas mediadas O Amanhã pelo olhar das mulheres.
Equipe Educativa do Museu do Amanhã

Horários: 10h30, 13h30 e 15h30

Grupo de 20 pessoas

Museu do Amanhã | Terreiro
18.11 ÀS 10:00

Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninas 6 -7 anos

of - OFICINAS

Você está educando criando uma criança feminista? Feminismo não é só para adultos e jovens. Se você acredita que meninas deveriam ter as mesmas oportunidades na vida que os meninos, nós temos a atividade perfeita pra você. A partir de brincadeiras, jogos e criações artísticas, a oficina tem por objetivo refletir com meninas de 6 a 7 anos e de 8 a 10 anos, sobre igualdade de gênero, o que significa ser uma menina e o que elas podem fazer para ajudar a construir mais igualdade para o futuro.

Atividade exclusiva para meninas de 6 a 7 anos

Duração do evento: 10h00 - 11h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Terreiro
18.11 ÀS 14:00

Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninos 8 -10 anos

of - OFICINAS

Você está educando criando uma criança feminista? Feminismo não é só para adultos e jovens. Se você acredita que meninas deveriam ter as mesmas oportunidades na vida que os meninos, nós temos a atividade perfeita pra você. A partir de brincadeiras, jogos e criações artísticas, a oficina tem por objetivo refletir com meninas de 6 a 7 anos e de 8 a 10 anos, sobre igualdade de gênero, o que significa ser uma menina e o que elas podem fazer para ajudar a construir mais igualdade para o futuro.

Atividade exclusiva para meninos de 8 a 10 anos

Duração do evento: 14h00 - 15h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Museu do Amanhã | Terreiro
18.11 ÀS 16:00

Brincando e criando pela igualdade de gênero | Meninas 8 -10 anos

of - OFICINAS

Você está educando criando uma criança feminista? Feminismo não é só para adultos e jovens. Se você acredita que meninas deveriam ter as mesmas oportunidades na vida que os meninos, nós temos a atividade perfeita pra você. A partir de brincadeiras, jogos e criações artísticas, a oficina tem por objetivo refletir com meninas de 6 a 7 anos e de 8 a 10 anos, sobre igualdade de gênero, o que significa ser uma menina e o que elas podem fazer para ajudar a construir mais igualdade para o futuro.

Atividade exclusiva para meninas de 8 a 10 anos

Duração do evento: 16h00 - 17h00


RESERVE SEU INGRESSO  

Praça Mauá
18.11 ÀS 10:00

Feira DELAS

EX - EXPOSIÇÕES

A Feira DELAS não é apenas um mercado ou uma exposição. É, sim, um modo de divulgar a inventividade das mulheres a partir do seu jeito de fazer cultura, viver sua cidadania e de empreender, numa perspectiva de fortalecer a criação, produção, distribuição e consumo de produtos, negócios; divulgação de campanhas e iniciativas de ativistas e organizações. Tudo isso, por mulheres organizadas em redes que atuam com temas transversais como gênero, feminismo e direitos. Espaço dedicado ao empreendedorismo, gastronomia, ativismo, causas sociais, organizações, com a presença de 200 iniciativas lideradas por mulheres. Confira a lista completa de empreendedoras e ativistas no menu Participantes. 

Duração do evento: 10h00 - 20h00

Praça Mauá
18.11 ÀS 14:00

Consciência do cabelo aos pés - Coletivo Madalena Anastácia

ac - ARTE E CULTURA

O que é ser um corpo-mulher-negra em nossa sociedade? Nesse conjunto de performances, intitulado “Consciência do Cabelo aos pés”, o Coletivo Madalena Anastácia expõe o racismo e sexismo naturalizados em nossa sociedade e propõe caminhos de reflexão e ação conjunta para a transformação.

Duração do evento: 14h00 – 14h30

Praça Mauá | Instalação
18.11 ÀS 10:30

Mesas de ping pong

Priscila Fiszman
Arquiteta e Artista

ac - ARTE E CULTURA

A artista plástica Priscila Fiszman projeta uma instalação com três Mesas de Ping-Pong na Praça Mauá. As mesas ficarão abertas para uso, e poderão ser utilizadas por todas e todos durante a programação do festival WOW - Festival Mulheres do Mundo. As três mesas são três trabalhos inéditos comissionados em colaboração com o Redes da Maré especialmente para o Festival. As mesas ganham os títulos "King-Pong", "Reconfiguração Ideológica" e "Mesa das Crianças".

Duração do evento: 10h00 - 20h00

Praça Mauá | Palco Principal
18.11 ÀS 16:30

Bloco de carnaval | Mulheres rodadas

Mulheres Rodadas
Bloco de carnaval

ac - ARTE E CULTURA

Mulheres Rodadas é o primeiro bloco feminista do carnaval carioca. Subvertendo a ordem e aproveitando o carnaval, o bloco perguntava: ainda cabe hoje algum rótulo dado às mulheres por conta de suas escolhas? No seu primeiro ano, participou da campanha "O Valentenão é violento". Em 2016, integrou o movimento#carnavalsemassedio. Nos anos seguintes, o bloco voltou a levar milhares de pessoas às ruas com uma banda majoritariamente formada por mulheres, com repercussão nacional e internacional.

Duração do evento: 16h30 - 17h00

Praça Mauá | Palco Principal
18.11 ÀS 18:00

Afrolaje

Afrolaje
Grupo Musical e Rituais Culturais

ac - ARTE E CULTURA

O Grupo Afrolaje – dança música, percussão e pesquisa – foi fundado em 2012 na região do Grande Méier – Zona Norte do Rio de Janeiro, pela professora e coreógrafa Flavia Souza, bacharela em Dança pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e pelo professor de capoeira Ivan Jr, bacharel em Educação Física também pela UFRJ onde convidou e se reuniu com seus colaboradores em 2013, para dar inicio. Este projeto surgiu como uma releitura da significação da laje das casas de comunidades carentes do Rio de Janeiro, lugar comumente reconhecido, nesta cidade, como um espaço de encontro de guetos e foco de resistência cultural. Com nossas reuniões periódicas para a prática do Jongo e da Capoeira Angola na laje, com o intuito de pesquisar, preservar e divulgar a memória da cultura popular afro brasileira. No dia 18 de novembro , mulheres do Afrolaje vãorealizar uma roda de jongo interativa com o publico e convida a todas e todos para este grande circulo de amor para agregar!

Duração do evento: 18h00 - 18h30

Praça Mauá | Palco Principal
18.11 ÀS 18:30

Maria Beraldo

Maria Beraldo
cantora, compositora e clarinetista

ac - ARTE E CULTURA

Maria Beraldo, cantora, compositora e clarinetista, apresenta no WOW seu álbum de estreia Cavala. As músicas, de base instrumental e intimista, dialogam com o jazz e ruídos eletrônicos.

Duração do evento: 18h30 - 19h00

Praça Mauá | Palco Principal
18.11 ÀS 19:00

DJ Tamy

Dj Tamy
Dj

ac - ARTE E CULTURA

Tamyris Reis, conhecida como DJ Tamy, teve contato com música desde pequena. Estudou piano, flauta, violão, percussão, canto e teoria musical. Na sua adolescência, por influência de alguns amigos começou a estudar, aprimorando as técnicas para se profissionalizar como DJ.

Duração do evento: 19h00 - 19h30

Praça Mauá | Palco Principal
18.11 ÀS 19:30

Luedji Luna

Luedji Luna
Cantora e compositora

ac - ARTE E CULTURA

Nascida no bairro do Cabula, em Salvador, a cantora e compositora Luedji Luna impõe a existência e voz de mulheres negras tantas vezes silenciadas. Seu álbum de estreia, Um corpo no mundo, contém uma sonoridade única que une ritmos afrobrasileiros, jazz e blues.

Duração do evento: 19h30 - 20h00

Praça Mauá | Palco Principal
18.11 ÀS 20:00

DJ Tamy

Dj Tamy
Dj

ac - ARTE E CULTURA

Tamyris Reis, conhecida como DJ Tamy, teve contato com música desde pequena. Estudou piano, flauta, violão, percussão, canto e teoria musical. Na sua adolescência, por influência de alguns amigos começou a estudar, aprimorando as técnicas para se profissionalizar como DJ.

Duração do evento: 20h00 - 20h30

Praça Mauá | Palco Principal
18.11 ÀS 20:30

Dona Onete

Dona Onete
cantora e compositora

ac - ARTE E CULTURA

A paraense Dona Onete gravou seu primeiro disco em 2012, com 73 anos. Desde então, vem conquistando multidões com seu carimbo chamegado. No WOW, D. Onete irá apresentar seus maiores sucessos.

Duração do evento: 20h30 - 22h00

Praça Mauá | Palco Principal
18.11 ÀS 22:00

DJ Tamy

Dj Tamy
Dj

ac - ARTE E CULTURA

Tamyris Reis, conhecida como DJ Tamy, teve contato com música desde pequena. Estudou piano, flauta, violão, percussão, canto e teoria musical. Na sua adolescência, por influência de alguns amigos começou a estudar, aprimorando as técnicas para se profissionalizar como DJ.

Domingo 18/11 | 22h00 - 23h00
Show
Praça Mauá | Palco Principal

Praça Mauá | Stands
18.11 ÀS 10:00

Mulheres Ativistas

at - ATIVISMO

As mulheres ativistas vão ocupar seis stands na Praça Mauá com exposição dos materiais de seus movimentos, coletivos e organizações da sociedade civil. Serão seis espaços de apresentação, conversa, compartilhamento de experiências e construção de espaços simbólicos de vivência e resistência.

Duração do evento: 10h00 - 20h00

 

 

A dimensão  “Mulheres em Diálogos” teve 7 categorias:

  Território de Partilha

As participantes dialogaram entre si o assunto em pauta, elaborando uma abordagem geral sobre o tema. 

  Rodas de Conversas

Teve como objetivo recortar, detalhar ou aprofundar os assuntos abordados nos Territórios de Partilhas. 

  Trocas de Experiências

Representantes de organizações compartilharam sua experiência, entre profissionais que atuam no mesmo setor e as participantes.

  Fórum de Vivências

Em formato de auditório, momento destinado à troca de ideias e opiniões sobre assuntos atuais de interesse das mulheres.

  Compartilhando Trajetórias

Mulheres incríveis compartilharam suas trajetórias, e em seguida bateram um papo com o público. 

  Vidas em Conexão 

A mentoria foi um encontro entre duas mulheres no qual se estabelecem trocas criativas e inspiradoras sobre variados temas. 

  Oficinas

As oficinas são uma metodologia de trabalho que consiste na aprendizagem e formação coletiva através da interação e troca de saberes. 

CURADORIA

REALIZAÇÃO